A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

14/02/2011 21:33

MPT flagra trabalho infantil no hipódromo de Campo Grande e entra com ação

Jorge Almoas

Adolescentes lavavam baias, cuidavam de cavalos e dormiam em condições insalubres, por salário de R$ 300

Em janeiro deste ano, o MPT (Ministério Público do Trabalho) flagrou 10 adolescentes trabalhando no hipódromo Aguiar Pereira de Souza. Por conta da constatação do trabalho infantil no Jockey Club de Campo Grande, o MPT ingressou hoje com Ação Civil Pública contra a administração do local.

O flagrante verificou que adolescentes, com idade entre 12 e 17 anos, que executavam a limpeza das baias e davam banho nos cavalos. A fiscalização foi feita no dias 6 e 7 de janeiro.

Os adolescentes estavam trabalhando sob condições insalubres nos currais e estábulos, no cuidado de baias e cavalos, sem condições adequadas de higienização. O pretexto par ao trabalho infantil era que os jovens aprenderiam montaria.

Pelo trabalho infantil, os adolescentes recebiam R$ 300,00 mensais, sem registro em carteira e sem acesso aos direitos trabalhistas.

Um dos meninos informou que não estava matriculado em nenhuma escola e que nem mesmo sabia quanto iria ganhar pelo seu trabalho.

Em alguns casos, os adolescentes dormiam no local, sem autorização dos pais, em alojamento precário, e sem higiene. Tanto no dormitório, quanto nos locais das refeições e de trabalho foram constatadas condições insalubres.

Quando da fiscalização, o empregador foi autuado e informado que os adolescentes deveriam ser afastados do trabalho imediatamente.

O trabalho em estábulos e currais consta na lista das piores formas de trabalho infantil, de acordo com a OIT (Organização Internacional do Trabalho).

Na ação proposta hoje, o MPT pede a condenação da administração do Jockey Club de Campo Grande par que não utilize mais mão-de-obra infantil e não mantenha alojamentos e cozinha em condições insalubres.

A pena tem multa de R$ 10 mil, para cada infração e por trabalhador prejudicado. A ação solicita ainda condenação por dano moral no valor de R$ 300 mil e dano moral individual, no valor de R$ 10 mil.

Os valores individuais deverão ser depositados em caderneta de poupança, com liberação somente quando os menores completarem 18 anos.



Vocês acham que a administração do Parque Laucidio Coelho e a Acrissul não sabiam disto. Além da leis do silêncio desresitavam também leis trabalhista e exploração de menores. è isso ai, apoiem este povo.
 
Vivian em 15/02/2011 12:49:01
parabens e isso mesmo, vamos pregar multa nesso povo que explora criança... tudo certo,
agora so da uma olhadinha nessas crianças se tem pai se tem mae, onde eles vao estudar e onde vao dormir e comer, tem que olhar o problema e resolver tudo, porque senao e melhro fingir que nao enxerga, porque esculhambar e facil o duro e arrumar a casa certinha.
 
luiz fernandes em 15/02/2011 11:41:34
Essa lei que protege as crianças e adolescentes do trabalho infantil é muito boa mas precisa ser revista. Acontece que esses adolescentes estavam trabalhando ganhavam uma pequena renda mensal, estavam fora da rua, longe da criminalidade e aprendendo uma profissão, poderiam mais tarde ser cuidadores de animais. Entretanto meninos carentes da idade deles, quando querem ter um dinheirinho e não pedem contar com seus pais, ou fazem "bico" ou assaltam, vendem drogas, roubam celulares, depois que entram para o crime, esta passa a ser sua profissão etc. Crianças e adolescentes devem estudar, sim , mas tambem devem ter uma alternativa para aprender uma profissão, ou um esporte, mas infelizmente Campo Grande não tem um projeto social que envolvam todas esses meninos. Portanto o MTE deveria, ao inves de tirar o trabalho desses garotos, poderiam fiscalizar as condiçoes de segurança no trabalho, material de proteção, frequencia escolar e cobrar dos empregadores que concedam seus direitos de ferias, 13°, FGTS, etc.
 
leticia mello em 15/02/2011 10:45:17
O bom mesmo seriam eles estarem a toa, lá no centro da cidade, "cuidando" de carros, pedindo dinheiro e sabe-se lá mais o que!
Trabalho não estraga ninguém, vadiagem sim!
 
Rodrigo Medeiros em 15/02/2011 09:07:05
Pois é, assim é que se cria mais 10 delinquentes a solta nas ruas...um absurdo essa Lei que proibe menores de buscar trabalho, estagio ou algo mais...eu sou do tempo em que se podia trabalhar com qualquer idade, logicamente, dentro das necessidades e condições de cada pessoa. Conheci muitos coleguinhas que eram engraxates, balconistas, entregadores, etc, e isso só acrescentou valores a vida deles. Hoje, são proibidos por Lei de buscarem qualquer ocupação; porém, sem qualquer contrapartida do Estado que os oprime, travestidos de "proteção ao Menor". Parabéns MPT, mais 10 futuros delinquentes nas nossas ruas, quiça, em frente a sua casa...
 
Marco Antonio em 15/02/2011 08:54:47
Por acaso, isso não é trabalho analogo a condição de escravos?

 
Mário Rosa em 15/02/2011 08:44:24
Quem é o Presidente do Jockei Clube mesmo?
Poderiam averiguar quem é o Homem atrás dessa idiotice.
 
Orlando Lero em 15/02/2011 03:16:18
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions