A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

11/11/2013 09:18

MS é campeão em casos de câncer e sobram vagas em posto para homens

Bruno Chaves

Para conscientizar homens sobre a importância do teste diagnóstico de câncer de próstata foi iniciada, neste mês, a campanha Novembro Azul. Apesar de o alerta ser intensificado pela Sociedade Brasileira de Urologia, muitos campo-grandenses ainda resistem ao temido exame e não procuram o médico, nem para atendimento de saúde específica do homem. Um centro específico para atender a população do sexo masculino tem mais vagas de sobra do que pacientes no Bairro Coronel Antonino.

Por causa desse e de outros fatores, Mato Grosso do Sul é o estado brasileiro com maior incidência da doença, 101,98 casos para cada 100 mil habitantes, ganhando de estados como Rio de Janeiro (97 casos para 100 mil habitantes) e São Paulo (76,05 casos para 100 mil habitantes).

A estimativa é do Inca (Instituto Nacional do Câncer), que também afirma que, no Brasil, a média de incidência é de 53 casos para cada 100 mil habitantes. “Mato Grosso do Sul é considerado um estado de alta incidência da doença, provavelmente ligada a fatores alimentares”, explica o médico uro-oncologista Alexandre Bomfim.

De acordo com o médico, a falta de exercícios físicos aliada a uma dieta desregrada facilita o aparecimento do câncer de próstata, que é o segundo mais comum em homens, perdendo somente para o câncer de pele.

“A prevenção é feita, basicamente, através de exercícios físicos e alimentação saudável, sem gorduras. Em alguns casos, o uso de medicamentos também ajuda a prevenir a doença”, explica Bomfim.

Exame – O diagnóstico precoce do câncer de próstata aumentam para 90% a chance de cura da doença. Por isso, os exames – toque retal e PSA (sangue) – são fundamentais e diminuem para 35% o risco de morte.

Segundo Bomfim, a partir dos 45 anos todos os homens devem procurar um urologista, uma vez por ano, para a realização do exame da próstata. Se o homem for negro ou tiver histórico do câncer na família, o médico deve ser procurado com 40 anos.

“As campanhas de conscientização têm melhorado a procura por um check-up de exame de próstata. Mesmo assim, ainda existe certa resistência devido a um fator cultural e isso dificulta a vinda do homem ao urologista. Geralmente, a esposa, pelo instinto de preservação familiar, que conscientizam o homem”, revela.

Centro do Homem estava vazio e sem pacientes (Foto: Marcos Ermínio)Centro do Homem estava vazio e sem pacientes (Foto: Marcos Ermínio)

Saúde do Homem – Mesmo com a alta taxa de incidência de câncer de próstata no Estado, é possível perceber que a procura pelo atendimento na rede pública de saúde, em relação a saúde do homem, ainda é pequena, até quando comparada a saúde da mulher.

Na tarde de quarta-feira (6), nenhum paciente era atendido no “Centro do Homem - Dr. Etiene de Albuquerque Palhano”, que fica no bairro Coronel Antonino. A instituição tem capacidade para atender até 32 pacientes por dia, de acordo com funcionários, mas nenhum foi encontrado por volta das 15h.

O Centro do Homem oferece atendimento de consulta em urologia geral; circuncisão; infertilidade masculina; andrologia: disfunção erétil masculina, ejaculação precoce e distúrbios sexuais; vasectomia; serviço social e outros.

Para ser atendido no centro especializado, o paciente deve passar por uma unidade de saúde convencional e conseguir o encaminhamento, de acordo com a necessidade entendida pelo médico.

Ainda conforme funcionários, o Centro do Homem conta com sete médicos, que atendem por plantão. A unidade já chegou a atender 32 pacientes por dia. Mas, como a procura anda escassa, o movimento não tem sido frequente. Na quinta-feira, por exemplo, das 32 vagas previstas, apenas quatro consultas estavam agendadas. Outros quatro homens foram ao local fazer vasectomia.

Atendimento em Campo Grande De acordo com a assessoria de imprensa da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde), a população masculina da Capital é atendida na atenção básica por meio das Unidades Básicas de Saúde (UBS) e Unidades Básicas de Saúde da Família (UBSF).

Necessitando de atendimento especializado, os pacientes são encaminhados para as especialidades no Centro de Especialidades Médicas (CEM) ou especificamente na área de urologia no Centro do Homem.

Em 2012, foram realizadas 75.419 consultas médicas. Este ano, até setembro, foram 75.481. Consultas de enfermagem somaram 20.574 atendimentos em 2012. Em 2013, até setembro, foram 21.847 consultas de enfermagem.

Ações em locais com grande concentração de homens – Além da atenção básica, a prefeitura realiza realiza ações em saúde em locais de grande concentração de homens, como construção civil, limpeza pública e empresas, para estimular o acesso da população masculina aos serviços de saúde.



Já é difícil os homens procurarem um médico, e ainda dificultam as coisas, porque mesmo tendo uma UBS só para eles, primeiro tem que passar por uma UBS do bairro pra depois ser encaminhado para lá, o melhor seria se os homens pudessem marcar diretamente nas UBS's dos seus bairros a consulta especializada direto para o centro de referência.
 
Diane Aparecida em 11/11/2013 15:52:41
Muita cara de pau.... ai o homem vai ao posto de saúde e NÃO conseguem encaminhamento para o dito posto por isso que está as moscas... por que nos postos os médicos raramente dão o encaminhamento, já é dificil pegar encaminhamentos para as especialidades no CEM.... só rindo kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk
 
sandra lima em 11/11/2013 13:47:50
"Extinto" de preservação familiar?
 
Eny de Souza em 11/11/2013 12:29:57
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions