A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

08/08/2016 16:05

Mulheres estão denunciando 'ao menor sinal de violência', diz subsecretária

Número de casos de violência física diminuiu de 2.592 para 2.484, mas de violência psicológica e injúria passaram de 4.147 para 4.431

Julia Kaifanny
Coletiva realizada hoje (8), na Sejusp (Secretaria de Justiça e Segurança Pública).Coletiva realizada hoje (8), na Sejusp (Secretaria de Justiça e Segurança Pública).

O Governo de Mato Grosso do Sul lançou no inicio desse mês a campanha “Agosto Lilás”, que pretende chamar atenção para a violência contra a mulher. O Estado acupa a nona posição no ranking de mortes violentas de mulheres e segunda em tentativas de estupro, de acordo com dados divulgados nesta segunda-feira (8) pela Sejusp (Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública).

Conforme o balanço da violência contra mulheres, comparando o primeiro semestre de 2015 com o deste ano, o número de denúncias de violência física diminuiu de 2.592 para 2.484. Já a quantidade de casos violência psicológica e injúria passaram de 4.147 para 4.431.

De acordo com a subsecretária de Políticas Públicas para as Mulheres, Luciana Azambuja, os números refletem uma mudança: as mulheres estão quebrando o silêncio ao menor sinal de violência. “As mulheres não estão mais tolerando a violência doméstica”, diz.

Na maioria dos casos, as agressões partem de ex-companheiros que não aceitam o fim de um relacionamento. E a subscretária ressalta que é preciso quebrar esse ciclo da violência, tirar a mulher que foi agredida do ambiente e não permitir o retorno. A medida protetiva é uma maneira de garantir esta segurança e deve ser concedida à vítima em até 48 horas após o pedido.

Em Campo Grande a Casa da Mulher Brasileira exerce papel essencial nesta mudança de comportamento, com serviços especializados para atender a mulher vítima de violência. Em um só espaço, reúne delegacia, juizado, defensoria, promotoria, alojamento de passagem, equipes psicossocial e de orientação para emprego e renda, além de brinquedoteca e área de convivência.

Contando com o apoio da Casa da Mulher Brasileira, Sejusp e delegacia especializada, o "Agosto Lilás" tem feito a distribuição de material impresso e palestras em escolas e universidades com foco na Lei Maria da Penha e as formas de combate à violência contra a mulher. Desde o começo da campanha até domingo (7), pelos dados oficiais, 5.200 pessoas foram alcançadas.

 

Participaram da coletiva a subsecretária de Políticas Públicas para as Mulheres, Luciana Azambuja, a delegada titular da Deam (Delegacia Especializada no Atendimento à Mulher) Ariene Muradh, a juíza Jaqueline Machado da 3ª Vara de Violência Doméstica e Familiar contra a Mulher, considerada a 1ª Vara Especial de Medidas Protetivas do Estado de Mato Grosso do Sul e o secretário estadual Justiça e Segurança Pública, José Carlos Barbosa, o Barbosinha.

Lei Maria da Penha completa 10 anos e TJ faz campanhas contra violência
Neste mês a Lei nº 11.340/2006, conhecida como Lei Maria da Penha, completa 10 anos de existência e para conscientizar a população quanto ao combate ...
Câmara Federal regulamenta carreira dos agentes comunitários de saúde
Com a presença de agentes comunitários nas galerias da Câmara, os deputados federais concluíram hoje (12) a votação do projeto de lei que regulamenta...
Anvisa libera serviço de vacinação em farmácias de todo o país
Farmácias e drogarias de todo o país vão poder oferecer o serviço de vacinação a clientes. A possibilidade foi garantida em resolução aprovada hoje (...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions