A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

15/01/2008 09:22

OAB quer acabar com restrição sobre conversas com presos

Redação

A OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil de Mato Grosso do Sul) encaminhou ofício nesta terça-feira (15 de janeiro) à Agepen (Agência Estadual de Administração do Sistema Penitenciário) para que os advogados não tenham mais restrições de horários para conversas com clientes presos. Caso o pedido não seja atendido a OAB irá recorrer à Justiça.

A medida foi tomada diante das reclamações dos advogados. Dentre as restrições impostas, a que gera mais reclamações é a de que as entrevistas só podem ser feitas com presos que se encontram no horário de "banho de sol".

Situação que dificulta bastante o trabalho do advogado, principalmente se este precisar falar com mais de um detento, pois terá, em muitos casos, de ir ao presídio pela manhã e à tarde se os clientes forem de pavilhões diferentes.

No documento encaminhado ao diretor-geral da Agepen, coronel PM Hilton Vilassanti, o presidente da OAB/MS Fábio Trad, lembra que a entidade tem a exata compreensão das dificuldades enfrentadas na administração dos presídios e que a Ordem tem sido parceira dos órgãos de segurança buscando melhorias das condições, não só para os detentos, mas também para os funcionários dos presídios. Entretanto, ressalva que medidas administrativas restringindo o acesso dos advogados aos clientes contrariam não só texto de Lei Federal mas a própria Constituição.

Autorização para psicólogos aplicarem terapia de reorientação sexual é mantida
O juiz Waldemar Cláudio de Carvalho, da 14ª Vara Federal de Brasília, decidiu hoje (15) tornar definitiva a decisão liminar (provisória) que havia pr...
Clientes de banco podem renegociar dívidas no "Caminhão do Quita Fácil"
A partir de segunda-feira (18), clientes das agências da Caixa de Campo Grande terão a possibilidade de renegociar suas dívidas atrasadas há mais de ...
Acordo entre poupadores e bancos vai beneficiar 30% dos que entraram na Justiça
Das 10 milhões de pessoas que entraram na Justiça por perdas no rendimento de cadernetas de poupança, apenas cerca de 3 milhões serão beneficiadas, s...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions