A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

02/09/2010 12:25

Outros 21 detentos do Presídio Federal reclamam de lixão

Redação

A fumaça causada pelas queimadas no lixão no Dom Antônio motivaram 21 detentos, através de seus advogados, solicitarem providências as autoridades em Campo Grande.

O documento foi enviado, em julho, à Comissão de Direitos Humanos da OAB/MS (Ordem dos Advogados do Brasil) e também à promotoria do Meio Ambiente do Ministério Público Estadual.

O advogado de alguns dos presos, Edilberto Gonçalves Pael, reforça no documento que a administração do lixão ateia fogo, todas as noites, em diversos pontos do aterro. "A fumaça é tóxica. São queimadas lâmpadas, pilhas de celular e outros materiais, isso libera enxofre e outros gases".

Além de prejudicar o presídio, a fumaça também incomoda a população do bairro Dom Antônio Barbosa e estaria chegando até o Hospital Regional, de acordo com o advogado.

Ele diz que o Ministério Público enviou resposta, dizendo que existe um acordo com a prefeitura de Campo Grande, para que em dois anos o lixão seja desativado e um aterro sanitário seja implantado.

"A fumaça tóxica não afeta apenas os presos, mas toda a população ao redor e os funcionários do presídio", alega Pael.

Ao contrário do que foi dito pela Comissão de Meio Ambiente da OAB/MS, a assessoria da entidade negou há pouco que o nome do traficante Fernandinho Beira-Mar esteja na lista.

Velho Problema

Aplicativo enviará à CGU denúncias de agressão e discriminação a pessoas LGBTI+
O Ministério da Transparência e Controladoria-Geral da União recebe, a partir de hoje (18), denúncias feitas pelo aplicativo TODXS, relativas à discr...
TSE: regras eleitorais deixam dúvidas sobre fake news e autofinanciamento
O plenário do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) aprovou hoje (18), por unanimidade, as 10 resoluções que irão regular as eleições de 2018, mas ainda ...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions