ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MARÇO, SÁBADO  02    CAMPO GRANDE 27º

Cidades

Pai registra BO após ter negada preferencial em banco

Redação | 22/06/2010 17:15

Depois de ter negada a senha preferencial por ser homem, mesmo estando com um bebê, e de ser convidado a se retirar de uma agência da Caixa Econômica Federal da rua Treze de Maio na esquina com a Marechal Rondon, no Centro de Campo Grande, um pai resolver procurar a Polícia.

Silvano de Souza Távora, de 26 anos, registrou boletim de ocorrência por constrangimento ilegal. Ele contou que na manhã de ontem (21) fez negócio com um homem chamado José e foi com ele até o banco depositar dinheiro referente à compra de um terreno.

No estabelecimento, ele pediu uma senha preferencial porque estava com a filha de um ano e a criança chorava por estar com a fralda suja. Segundo informado por Távora à Polícia, a funcionária disse que arrumaria a senha.

Como o pedido não foi atendido, o pai falou com outra funcionária. A mulher, que não quis se identificar, disse que ele não tinha direito a preferencial porque era homem, detalha a vítima.

Ele chegou a questionar dizendo que os funcionários estavam equivocados, porque tinha direito à senha por estar com a criança, mas não foi atendido. Depois disso, um segurança veio a ele com a arma na mão e disse que era melhor que o pai "se retirasse do banco".

Muito nervoso, ele foi orientado pelo homem que havia comprado o terreno e estava com ele a deixar o local. Depois, a esposa retornou ao banco para efetuar o depósito, no dia seguinte.

Na ocasião, ela disse ter perguntado o nome dos funcionários envolvidos, mas teve o pedido negado pela chefe deles.

A CEF (Caixa Econômica Federal) informou, por meio de sua assessoria de imprensa, que desconhece o fato, mas assim que for comunicada oficialmente irá apurar a denúncia do pai.

O órgão confirma que a legislação vigente determina que seja entregue senha preferencial a pessoas acompanhadas de crianças de colo, independente de serem homens ou mulheres, conforme o inciso I do Art. 9° da Resolução Normativa do Banco Central do Brasil, que define as regras para atendimento bancário nas instituições financeiras do País.

Nos siga no Google Notícias