A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

18/03/2010 15:45

Para Cimi, apenas denúncia internacional surte efeito

Redação

Para o Cimi (Conselho Indigenista Missionário), apenas denúncias internacionais conseguem algum resultado em relação à questão indígena de Mato Grosso do Sul.

A declaração da entidade refere-se ao relatório feito pela Survival International, de Londres, que trata da situação precária em que os índios vivem no Estado e foi encaminhado à ONU (Organização das Nações Unidas).

O presidente do Cimi, Erwin Krautler, de 70 anos, revela que o Conselho já havia feitos várias denúncias sobre a situação desses povos no Estado. Em 2008, uma delas foi encaminhada à CNBB (Confederação Nacional dos Bispos do Brasil). Apesar disso, nenhuma providência foi tomada pelas autoridades.

"Muitas coisas só acontecem em nosso País depois de denúncias de instituições internacionais", pondera Krautler.

Para ele, o Estado defende apenas os interesses dos produtores rurais, porque a questão indígena não traz votos. "O índio não interessa para esse tipo de gente", aponta.

Com o encaminhamento do relatório da Survival, ele acredita que algo deverá ser feito em favor dos índios, porque o Governo Federal não ficará satisfeito em ter divulgada internacionalmente a imagem de que o Brasil não respeita os direitos humanos.

Gritante - Além da situação precária em que vivem indígenas do Estado, mostrada no relatório, o Cimi aponta os dados de violência envolvendo esses povos como recordistas no País. Dos 59 assassinatos de índios ocorridos no ano passado, 42 foram em Mato Grosso do Sul.

O Estado é o recordista também em casos de suicídio. Os 19 registrados no Brasil em 2009 ocorreram em MS. "Isso é uma resposta a uma situação insuportável", aponta o presidente do Cimi.

A situação precária dos povos indígenas é atribuída à falta de terra. Krautler explica que o relacionamento dos índios com a terra é baseado na dependência, como o de um filho com a mãe, diferente da visão "dos brancos". Por isso, sem terra os indígenas perdem sua referência.

Documentado - Outro relatório sobre a questão indígena em Mato Grosso do Sul está sendo elaborado, este pela Comissão de Direitos Humanos ligada à Presidência da República.

Um grupo veio ao Estado na semana passada para ver a situação dos índios, e deverá divulgar na próxima semana o documento contendo recomendações às entidades que tratam da questão.

ANS regulamenta novas regras de compartilhamento para planos de saúde
A Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS) publicou duas resoluções normativas na tentativa de dar mais segurança e estabilidade ao mercado de pla...
UFMS recebe inscrições para vários cursos no Vestibular 2018
A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) segue com inscrições abertas para o Vestibular 2018, que selecionará alunos para cursos de gradua...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions