A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

18/10/2013 21:47

Para CRM/MS, lei que divulga plantões serve para culpar médicos

Vinícius Squinelo

Em nota oficial, o CRM/MS (Conselho Regional de Medicina de Mato Grosso do Sul) lamentou a sanção da lei estadual que obriga hospitais e estabelecimentos médicos do Estado a fixar tabela com o nome dos médicos plantonistas e responsáveis pelos plantões.

Para o Conselho, a medida, indiretamente, visa culpar os médicos pelos problemas da saúde pública regional. A coincidência de que a lei foi publicada nesta sexta-feira, 18 de outubro, quando se comemora o Dia do Médico, também foi destaque negativo na nota oficial, divulgada na noite de hoje.

O CRM ainda informou que vai acionar a assessoria jurídica, e contestar a validade constitucional da legislação.

Confira a nota na íntegra – “No Dia do Médico (18 de outubro), que deveria ser reservado a comemorar todas as coisas boas que derivam do trabalho dos médicos, a classe ganhou um presente indesejável do Legislativo e do Executivo de Mato Grosso do Sul. Trata-se da publicação da Lei Estadual 4419/2013, que “Dispõe sobre a obrigatoriedade dos hospitais do Estado de Mato Grosso do Sul a fixarem, em local visível, a lista de médicos plantonistas e do responsável pelo plantão”.

Trata-se, lamentavelmente, de mais um expediente público que, indiretamente, acaba por querer culpar os médicos em geral pelos problemas da saúde pública, que sabidamente continuam a ocorrer não em razão do que está contido nesta lei, mas sim (e principalmente) em razão do gritante descumprimento daquilo que está previsto na Constituição da República, quanto a ser “direito de todos e dever do Estado” a saúde de boa qualidade (art. 196).

Além disso, a medida é discriminatória, por violar a noção da isonomia, porque expediente semelhante não é adotado em relação às demais categorias, o que já levou a Presidência do CRM/MS a acionar sua assessoria jurídica, visando o combate judicial da validade constitucional de referida lei. É realmente de lamentar que, da mesma forma como atua o Governo Federal (com o combatido e ineficiente “Programa Mais Médicos”), o Estadual, ao invés de se preocupar com questões realmente importantes e urgentes (melhorar a estrutura da saúde pública, com mais e melhores investimentos de recursos, em todos os setores) – que são totalmente de sua competência –, acabe por percorrer o caminho indesejável do exibicionismo e da busca fácil de soluções erradas para os problemas da saúde sul-mato-grossense”.

Lei obriga hospitais de MS a fixarem lista de médicos plantonistas
Todos os hospitais e estabelecimentos de saúde instalados em Mato Grosso do Sul estão obrigados, a partir desta sexta-feira (18), a divulgar a lista ...
Câmara de Vereadores entrega meio milhão de reais em emendas parlamentares
A Câmara Municipal de Costa Rica, a 305 quilômetros de Campo Grande, realiza nesta segunda-feira (dia 11) três sessões, duas delas especiais. Às 14h ...
Município de Itaporã comemora 64 anos de emancipação neste domingo
Conhecido como Cidade do Peixe, Itaporã, distante 227 km de Campo Grande, comemora 64 anos de emancipação neste domingo (10). A prefeitura municipal ...


Tem que fiscalizar mesmo, se sou eu quem pago os salários dos médicos com meus altos impostos, eu precisa saber se meu funcionário está ou não trabalhando.
 
Rafael Pereira em 24/10/2013 10:20:00
Simples, abandonem o SUS, com governo petista e arbitrário não se briga. Abandonem, infelizmente só deve dar seriedade a quem merece.
Quanto as denúncias de maus profissionais, vocês acham mesmo que o bons vão para o SUS? nessas condições atuais? Infelizmente o governo PTista criou a MEDICINA DE POBRE... novidade no BrasiU, que tem desde maus profissionais, maus médicos estrangeiros sem qualidade, e até falsificadores de diploma!
 
Felipe Carmo em 19/10/2013 15:42:07
Tenho amigos e parentes médicos, mas vejo essa nota como uma tentativa de se esquivar das responsabilidades, obviamente a crise na saúde não é unicamente de responsabilidade dos médicos, mas basta estar um pouco dentro do meio para ver as barbaridades de médicos que faltam plantões, fazem 5 horas de almoço, assistem jogo de futebol enquanto deveria estar atendendo dentre outras barbaridades. A medida favorece também o consumidor dos planos de saúde, que por muitas vezes também é atendido por nem sabe quem!
 
Gabriel Arce Pereira em 19/10/2013 02:17:49
Existe muito cooperativismo na medicina, tudo para manter altos salários e baixa concorrência, o Governo investe altíssimo nos filhos da classe burguesa através de Universidades Públicas para não ter um retorno digno através do serviço público obrigatório, devido à desigualdade na formação educacional, onde o pobre acaba excluído em concorrência desleal. Isso tem que acabar! Médicos Estrangeiros já ou revalida para todos os médicos, inclusive os mais antigos que não se reciclaram.
 
Carlos Magno em 18/10/2013 23:26:35
gente, vamos lá?? isso não e colocar culpa em ninguem, simplesmente visa difundir informações essenciais!! se eu for num posto de saude da NOVA BAHIA eu chego la e vejo que o medico "fulano de tal" tem que estar la "TRABALHANDO", logo creio que isso e extremamente interessante, e poderia ser extendido aos enfermeiros, odontologos e demais profissionais que eu ajudo a pagar e muitas das vezes nao se encontram no seu plantao.

 
Márcio Barbosa da Silva em 18/10/2013 22:59:23
Muito bom!!! Tem que divulgar mesmo, temos que saber quem esta atendendo, nos ou nossos familiares. Como todos sabemos quem é o Professor de nossos filhos. Muito bom mesmo!!!!
 
mirtes Lourenço Camilo em 18/10/2013 22:15:12
se o salário dos médicos plantonistas nos Hospitais públicos são pagos com os impostos que o cidadão paga, nada mais justo que este mesmo cidadão tenha mecanismos, como a obrigatoriedade agora imposta por essa lei, para fiscalizar se esse médico está ou não cumprindo sua carga horária, como qualquer trabalhador comum.
 
MARCELLO MENDES em 18/10/2013 22:09:21
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions