A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 10 de Dezembro de 2017

25/01/2011 17:07

Pedido de vistas adia julgamento do CNJ sobre escuta no Presídio Federal

Marta Ferreira

Órgão vai voltar a analisar o caso só no dia 15 de fevereiro

O pedido de vistas de três conselheiros adiou o julgamento pelo CNJ (Conselho Nacional de Justiça) do pedido de providências da OAB (Ordem dos Advogados do Brasil de Mato Grosso do Sul) prevendo limites na atuação dos juízes da execução penal em relação ao uso de gravações de áudio e vídeo das conversas dos detentos do Presídio Federal de Campo Grande. O processo começou a ser julgado, chegou a haver debate e controvérsia entre os conselheiros até que foram pedidas vistas, adiando o julgamento para a próxima sessão do CNJ, marcada para 15 de fevereiro.

No processo, a OAB pede que o CNJ oriente como poderão ser feitas as conversas entre os presos com familiares e advogados. Nos debates realizados no plenário, houve quem defendesse que as gravações sejam estudadas caso a caso e também o questionamento de que, além das conversas com advogados, seja permitida a gravação, com autorização judicial, de diálogos envolvendo autoridades como procuradores.

O assunto em polêmica desde que surgiram, em 2008, denúncias de gravações até de visitas íntimas dos presos. Desde então, o Campo Grande News acompanha o caso, denunciado por agentes penitenciários.

A OAB/MS denunciou o assunto ao CNJ e ao CNMP (Conselho Nacional do Ministério Público).

Em outubro do ano passado, os conselheiros do órgão relacionado ao MP decidiram arquivar o pedido de investigação. O entendimento da maioria foi de que não houve ilegalidade por parte dos procuradores.

Argumento-A Justiça Federal defende as escutas e alega que até um plano de sequestro foi descoberto através delas.

Revelado em 2008, o plano arquitetado pelo traficante Fernandinho Beira-Mar, de dentro da cela do Presídio Federal de Campo Grande, era para sequestrar um dos filhos do então presidente Lula. O crime custaria US$ 500 mil e seria financiado por um pool de criminosos, incluindo o traficante colombiano Juan Carlos Abadia e José Carlos Girotti, preso por assalto ao Banco Central.

Câmara de Vereadores entrega meio milhão de reais em emendas parlamentares
A Câmara Municipal de Costa Rica, a 305 quilômetros de Campo Grande, realiza nesta segunda-feira (dia 11) três sessões, duas delas especiais. Às 14h ...
Município de Itaporã comemora 64 anos de emancipação neste domingo
Conhecido como Cidade do Peixe, Itaporã, distante 227 km de Campo Grande, comemora 64 anos de emancipação neste domingo (10). A prefeitura municipal ...


Campo Grande virou terra sem lei sem ordem, Moro no residencial Monte Castelo e a bagunça em uma conveniência em frente ao prédio é enorme: gritaria, som alto, pessoas urinando em plena calçada à luz do dia e da noite. Detalhe: do outro lado da rua, fica a sede da 2º delegecia de polícia, que nada faz para coibir os abusos.
 
lyedson oliveira em 27/01/2011 08:02:46
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions