A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

29/04/2014 17:55

Pela 1º vez, Capital assume ranking de qualidade de vida em MS

Lidiane Kober
Campo Grande desbancou São Gabriel do Oeste é obteve melhor nota em levantamento da Onu (Foto: Arquivo)Campo Grande desbancou São Gabriel do Oeste é obteve melhor nota em levantamento da Onu (Foto: Arquivo)

Campo Grande desbancou São Gabriel do Oeste e, pela primeira vez, assumiu a liderança no ranking dos municípios com melhor qualidade de vida em Mato Grosso do Sul. A lista, no entanto, deixa em alerta autoridades por conta da baixa pontuação da maioria das 79 cidades do Estado. Apenas sete apresentaram nota igual ou acima da média nacional.

O ranking, com a pontuação do IDHM (Índice de Desenvolvimento Humano dos Municípios), foi divulgado pela ONU (Organização das Nações Unidas) e detalhado ao Campo Grande News pela titular da Secretaria de Estado de Trabalho e Assistência Social, Tânia Mara Garib.

Na média geral, o Estado tem IDHM de 0,729, um pouco acima da média nacional de 0,727. O estudo leva em consideração a educação, expectativa de vida e a renda da população. Com nota de 0,784, a Capital ocupa o topo da lista. “Pela primeira vez, Campo Grande lidera o ranking e São Gabriel, de primeiro passou a ocupar o 6º lugar”, revelou a secretária.

Para ela, a posição é motivo de orgulho. “O levantamento leva em conta o censo de 2000 e de 2010, período das administrações do atual governador André Puccinelli (PMDB) e do ex-prefeito Nelsinho Trad (PMDB)”, disse ela, que fez parte das duas gestões da prefeitura da Capital. “Investimos muito para ampliar o número de escolas, cresces e para oportunizar qualificação profissional”, acrescentou.

Em segundo lugar no ranking, aparece o município de Chapadão do Sul, a 321 quilômetros da Capital, com nota 0,754. Segunda maior cidade do Estado, Dourados é o terceiro colocado, com pontuação de 0,747. Com nota 0,744, Três Lagoas é a quarta colocada e Maracaju, a quinta, com pontuação de 0,736.

Ainda de acordo com a secretária, São Gabriel registrou nota de 0,729 e Cassilândia, na sétima posição, é o último município do Estado a estar dentro da média nacional, com pontuação de 0,727.

Os piores - As demais 70 cidades apresentam nota abaixo da média. “Isso nos preocupa muito e só vamos melhorar com anos de investimento em educação e com mais qualificação profissional”, avaliou a secretária.

Conforme Tânia, o município de Japorã, distante 487 quilômetros da Capital, registrou a pior nota, com IDHM de 0,526. Paranhos é o vice colocado, com pontuação de 0,588. Coronel Sapucaia figura na sequência, com índice de 0,589, seguido por Tacuru (0,596) e Sete Quedas (0,614).

“Coincidentemente, os cinco municípios com a piores notes localizam-se em região de fronteira, no Sul do Estado e a sua maioria possui aldeias indígenas”, comentou a secretária. “No próximo levantamento da Onu, que sai de 10 em 10 anos, teremos reflexo da atual administração do Estado”, finalizou.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions