ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, SÁBADO  24    CAMPO GRANDE 31º

Cidades

PM tentou negociar antes de abrir fogo, diz comerciante

Redação | 21/06/2010 10:05

A tentativa de invasão à floricultura Flores e Folhas, localizada na rua 7 de setembro, no centro de Campo Grande, se soma a vários outros episódios vividos pelos proprietários, atormentados pela presença constante de prostitutas, travestis e usuários de drogas. Hoje o caso acabou com ladrão baleado por um policial militar.

Simone Maria Molin Heberle, de 27 anos, proprietária da floricultura, diz que o soldado Juliano Cândido Pícoli, 24 anos, insistiu com o suspeito pelo menos quatro vezes para que ele levantasse a camiseta, antes de atirar.

Depois de se apresentar como policial e dar ordem para que Jardel Alves de Souza, de 28 anos, parasse e levantasse a camiseta, o rapaz acabou sacando uma pistola de brinquedo e foi baleado no abdômen. "O policial não queria fazer, mas teve que reagir ao ladrão. Como poderia saber que a arma era de brinquedo?", diz a mãe de Simone, Soroles Molin, de 64 anos.

Simone diz que mora nos fundos da loja, com os pais e escutou tudo. "Tudo foi muito rápido não deu tempo de assustar", acrescenta Sorales.

Na vitrine da loja há marcas de tiro e de sangue. Segundo a comerciante foram 12 disparos. A Polícia Civil informou que no local foram encontradas sete cápsulas deflagradas de pistola .40. Segundo Simone, o PM, que não estava em serviço, teria se comprometido a repor os vidros quebrados. A perícia esteve no local.

Tormento

Nos siga no Google Notícias