A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 13 de Dezembro de 2017

22/04/2015 17:23

Pobres melhoram de renda com Bolsa Família, mas temem cortes de Dilma

Alan Diógenes
Após levantamento revelar que famílias melhoraram de vida, beneficiários temem corte de benefício. (Foto: Marcelo Calazans)Após levantamento revelar que famílias melhoraram de vida, beneficiários temem corte de benefício. (Foto: Marcelo Calazans)

Um levantamento feito pelo Governo mostrou que das 11,3 mil famílias do Estado que recebem o Bolsa Famílias, 6 mil (53%) tiveram aumento de renda. Devido ao fato, alguns inscritos temem que o benefício seja cortado, já que o país passa por uma crise financeira onde a presidente da República, Dilma Rousseff (PT) tem que cortar gastos.

A dona de casa Sônia da Cruz Rodrigues, 27 anos, moradora no residencial José Maksoud, recebe o benefício porque tem cinco filhos, de 1 a 8 anos. Recebendo R$ 230 do Bolsa Família, a renda familiar aumenta para R$ 1.030 mil, porque o marido começou a ganhar um pouco mais trabalhando como servente de pedreiro.

“O meu medo é que o benefício seja cortado, porque esse dinheiro ajuda e muito a gente. Com ele compro remédios e fraldas para as crianças. Sem falar que esses dias meu marido ficou sem trabalhar durante 15 dias, e ele recebe por dia, se não fosse o dinheiro do Bolsa Família, a gente ia passar fome dentro de casa”, explicou Sônia.

A diarista Carmem da Silva Lima, 38, confessa que começou a ganhar mais nos últimos anos, mas como “as coisas andam caras”, segundo ela, o salário dela não dá para nada e o jeito é recorrer à quantia que recebe do Bolsa Família. “Hoje você vai ao mercado e não consegue comprar muita coisa. Sem falar que vou ficar parada por que tenho que fazer uma cirurgia na perna; o dinheiro do Bolsa Família que vai me ajuda”, comentou .

Já a dona de casa Maria Aparecida Vicente recebe o benefício porque cuida dos cinco netos pequenos. Ela disse que sem o Bolsa família, as coisas seriam bem mais difíceis em casa. “Não iria conseguir sustentar meus netos porque estou desempregada. Com esse dinheiro eu coloco comida dentro de casa”, apontou.

Em todo o Brasil, 436,2 mil famílias que recebem o Bolsa Família tiveram um aumento de renda. Em Mato Grosso do Sul, as 2,2 mil famílias que não fizeram a atualização terão o benefício cancelado já a partir deste mês. Muitas não atualizam as informações no Cadastro Único porque também melhoraram de vida e não precisam mais do Bolsa Família. No entanto, caso voltem a precisar do complemento de renda e estejam enquadradas nos limites de renda do programa, elas têm 180 dias a partir da data do cancelamento para pedir a reversão às prefeituras.

A revisão cadastral é um processo obrigatório e de rotina, realizado todos os anos e voltado para os beneficiários que não atualizam os dados no Cadastro Único há mais de dois anos, o que garante que o benefício seja pago para quem realmente precisa.

Sônia disse que usa dinheiro do benefício para comprar remédios para filhos pequenos. (Foto: Marcelo Calazans)Sônia disse que usa dinheiro do benefício para comprar remédios para filhos pequenos. (Foto: Marcelo Calazans)
Já Carmem utilizava valor para alimentação. Ela teme corte do benefício. (Foto: Marcelo Calazans)Já Carmem utilizava valor para alimentação. Ela teme corte do benefício. (Foto: Marcelo Calazans)
Beneficiários do Bolsa Família tem até amanhã para se recadastrar na Capital
Os usuários do Programa Bolsa Família (PBF) tem até esta sexta-feira (16) para realizar seu recadastramento para não ter seus benefícios cancelados. ...
Beneficiados precisam recadastrar bolsa família nessa semana
Termina nesta semana o prazo para os beneficiários do Programa Bolsa Família fazerem a atualização de seu cadastro, quem não cumprir a data estipulad...
Beneficiários do Bolsa Família têm até dia 16 para atualizar cadastro
Beneficiários do Bolsa Família que receberam aviso no extrato de pagamento devem atualizar os dados no Cadastro Único para Programas Sociais do Gover...


Ué, isso era novidade? não se fala que isso vai acontecer desde quando começou? Pronto tá aí.

Copa do mundo valeu a pena mesmo hein! clap clap clap
 
Cyro Escobar Ribeiro Neto em 23/04/2015 08:47:59
Muita verdade nas palavras do Max. Infelizmente essa ajuda, que deveria ser emergencial, se tornou essencial, porque muita gente se acomodou e não procura melhorar a vida com as próprias pernas, arrumar um emprego decente e não precisar de esmolas. Como pode uma pessoa que só tem 27 anos já ter cinco filhos? E essa avó que cuida dos netos? Cadê os pais dessas crianças? São inúmeros casos como esses. As pessoas não se cuidam, vão tendo filhos, largando empregos, por causa dessa bolsa família. A vida não está fácil pra ninguém... O que se tem que fazer é arregaçar as mangas e ir à luta, trabalhar. Eleições passam e a vida continua.
 
Mariana Carvalho em 22/04/2015 22:19:06
O que está errado é isso, o governo do PT torna o cidadão dependente de bolsas que eles inventaram para ganhar eleições e agora a coisa tomou um tamanho que fatalmente o governo terá que rever todos estes auxilios, uma hora isso ia acontecer e agora o cidadão que se acostumou com este dinheirinho a mais no orçamento vai precisar sofrer para retomar a vida do modo como ela é na realidade, ou trabalha ou morre de fome, a verdade é esta, a bolsa foi inventada para uma parcela da população que não tinha como sobreviver, para o pessoal do sertão nordestino que não tinha água, comida, não tinha nada, mas como o PT viu que a bolsa ganhava eleição, eles expandiram para todo o país e agora chegou a hora de retornar a vida real....triste, mas necessário.
 
Max em 22/04/2015 17:40:43
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions