A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

18/01/2010 22:59

Polícia faz reconstituição de homicídio de PM em Corumbá

Redação

Hoje à tarde, uma equipe da Polícia Civil de Corumbá fez a reconstituição do homicídio do subtenente aposentado da PM (Polícia Militar), Edésio Gonçalves de Arruda, ocorrido no dia 12 de janeiro na estrada que dá acesso ao Assentamento Taquaral, perto do lixão da cidade.

A reprodução do crime foi feita em três momentos: no local de planejamento do crime, onde os acusados se reuniram para elaborar o roubo de um táxi, na abordagem a Edésio, que aconteceu em frente à sua casa e no local em que foi consumado o assassinato.

De acordo com o site Capital do Pantanal, no primeiro momento os acusados Nadson Pereira Galvão, 24 anos, Giliarde Pereira, 25 e Willian da Silva Bastos, 19, confirmaram que se reuniram no local para planejar o crime e na ocasião tomavam "batidinha" (mistura de cachaça, leite condensado e amendoim). Além deles, dois outros homens e dois adolescentes se reuniram no lugar; eles queriam roubar um táxi.

Na abordagem ao policial, apenas Nadson e Giliarde participaram. Os outros estavam encarregados de pegar o táxi e fornecimento de material, contudo, foi neste momento que Nadson ligou para Willian dizendo que não precisava mais do táxi, pois ele e Giliarde haviam conseguido o veículo.

Ainda nessa situação, os acusados confessaram que surpreenderam Edésio no momento em que ele abria a porta de casa. Um deles acertou a cabeça da vítima com uma pedra e em seguida a dupla carregou o policial até o veículo dele, um Gol de cor prata.

Giliarde conduziu o carro, enquanto Nadson seguida no banco de passageiro se debatendo com a vítima. Em seguida os acusados partiram com a vítima até o local do assassinato.

Antes de ser morto, Edésio foi retirado do carro por Giliarde, que amarrou as mãos e pernas do subtenente. Nadson consumou o homicídio, dando um golpe de pedra na cabeça do policial, que teve o crânio afundado.

Depois disso, Giliarde arrastou o corpo da vítima três quilômetros do local em que o assassinato foi cometido. Ele se encarregou de levar o carro até a Bolívia para um homem conhecido como "Fraco", mas o automóvel derrapou e atolou, momento em que a dupla abandonou o local deixando o carro.

Fase Final - Toda a reconstituição do crime foi acompanhada pelo delegado Enilton Pires Zalla, titular do 1º Distrito Policial.

Depois da reconstituição, os acusados foram encaminhados novamente ao estabelecimento penal. Três envolvidos tinham passagens pela polícia: Nadson por homicídio, Giliarde por receptação e Willian por formação de quadrilha e roubo.

Os acusados foram autuados em flagrante pelo crime de latrocínio com morte, formação de quadrilha e Nadson vai responder ainda por tráfico de drogas, pois no momento de sua abordagem os policiais encontraram droga com ele. O flagrante aconteceu 36 horas depois do crime.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions