ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
MARÇO, SÁBADO  02    CAMPO GRANDE 25º

Cidades

Prefeitura diz que não vai desapropriar para residencial

Redação | 03/05/2010 15:58

O secretário de governo Rodrigo Aquino detalhou o projeto que deve custar R$ 200 milhões para a construção de residencial com 3,1 mil unidades em Campo Grande.

A obra, aprovada na manhã de hoje pela Câmara Municipal, não deve envolver desapropriação de imóveis no bairro Paulo Coelho Machado, garante o secretário.

Segundo Aquino, a única possibilidade disso ocorrer é se houver necessidade da construção de vias de acesso na região, no entanto reiterou que nenhuma edificação deverá ser desocupada para a abertura das ruas.

A obra vai custar R$ 200 milhões e será executada pelo grupo mexicano Homex. Conforme o secretário, a área será comprada com recursos próprios da empresa, sem qualquer contrapartida do município.

A prefeitura ressalta que a construção das casas vai permitir atender funcionários das empresas que se instalarem no Pólo Industrial Sul, na região das Moreninhas, e funcionários do núcleo intermodal de cargas, que será instalado na região.

Ele destaca que a prefeitura fez exigências, além daquelas já previstas em lei, ao grupo mexicanos, como asfalto, rede de esgoto já interligando o emissário à estação de tratamento do Jardim Los Angeles e pavimentação de um novo acesso à BR-163.

Mesmo com otimismo sobre a instalação do empreendimento, Campo Grande ainda disputa o investimento com a cidade de São José dos Campos (SP).

Aquino acredita que o empreendimento virá para a Capital. "Os empresários garantiram que com aprovação da lei eles virão para Campo Grande", diz.

Nos siga no Google Notícias