A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 17 de Dezembro de 2017

25/08/2009 14:00

Presa quadrilha que furtou cerca de R$ 500 mil em gado

Redação

Investigações feitas pela Polícia Civil de Ribas do Rio Pardo e do Garras (Grupo Armado de Repressão e Resgate a Assaltos e Sequestros) resultaram na desarticulação de uma quadrilha especializada em furtar gado.

Desde o início do ano, pelo menos 500 animais foram retirados de uma propriedade, ações que geraram prejuízo ao produtor rural de pelo menos R$ 500 mil, alega. Dez integrantes do bando estão presos, entre eles, os proprietários de uma transportadora de Água Clara.

Segundo a delegada titular de Ribas do Rio Pardo, Daniella Kades de Oliveira Garcia, estão presos: Osvaldo Munhoz, Lúcia da Costa Corim, Renato Jackson da Costa Corim, Bruno Nilton da Costa Santos, Cleosmar Aparecido de Paula, Rodrigo Aparecido Silva de Paula, Roberto Aparecido de Almeida, Roberto Carlos Nunes de Almeida, Osmar Alves Mancoelho e Doacir dos Santos Venâncio.

Osvaldo é apontado como mentor do esquema. Ele é dono da transportadora que levava os animais do local do furto e pagava para que funcionários da fazenda permitissem a retirada do gado.

Na própria fazenda, ou em lugares próximos, o gado era remarcado. Com notas falsas, os animais eram vendidos.

Osvaldo, a esposa dele e o enteado Renato Jackson foram presos na operação feita ontem. O sobrinho de Lúcia, Bruno Nilton, também foi preso.

Segundo a delegada, os outros seis são gerentes, capatazes e peões que facilitavam o furto mediante um pagamento.

Os animais eram retirados da fazenda geralmente de madrugada, quando os produtores não estavam no local.

A maioria das cabeças de gado furtadas já estavam no ponto para o abate, portanto, só foi possível recuperar 119 animais.

A delegada explica que não é possível afirmar quanto a quadrilha movimentou em dinheiro. Estima-se que, somente desta propriedade, que foi alvo da ação do bando várias vezes, o lucro possa ter sido de R$ 300 mil pois as reses eram vendidas a preço bem abaixo do mercado.

De acordo com Daniella, o dono da transportadora era investigado há anos por furto de gado. Três caminhões da empresa foram apreendidas pela Polícia.

A Polícia apura agora se ações praticadas em outras propriedades e em cidades vizinhas têm ligação com o grupo.

Daniella destaca ainda que Doacir dos Santos Venâncio estava em liberdade há menos de uma semana, após ter sido preso em flagrante por furto de gado.

Eles estão presos desde ontem, com base em mandado de prisão temporária por formação de quadrilha, furto, supressão de marca em animais e uso de documento falso - refente às notas fiscais fraudadas. O prazo para a prisão é de cinco dias.

imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions