ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEXTA  07    CAMPO GRANDE 20º

Cidades

Procon recomenda que pais verifiquem se lista de material escolar tem “abusos”

Itens de uso da escola, como giz ou materiais de escritório, já integram as contas para definir o valor da mensalidade, informa a Superintendência

Por Humberto Marques | 15/01/2019 18:54
Procon-MS alerta que alguns itens não podem ser cobrados das escolas, exceto se forem para uso individual do estudante. (Foto: Divulgação)
Procon-MS alerta que alguns itens não podem ser cobrados das escolas, exceto se forem para uso individual do estudante. (Foto: Divulgação)

A aproximação do início do ano letivo levou o Procon-MS (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor de Mato Grosso do Sul) a recomendar aos pais ou responsáveis que verifiquem tanto o preço dos materiais escolares como os produtos que integram a lista a ser adquirida pelos estudantes, entregue pelos estabelecimentos de ensino. O alerta envolve itens que não são de uso dos alunos ou se destinam a escritórios da administração ou secretaria das escolas, que não podem ser exigidos –pois já são utilizados para determinar os valores das mensalidades.

Além da lista de materiais, segundo informou o Procon, deve ser entregue um plano de utilização, específico para cada série, sobre os produtos adquiridos.

As escolas não podem exigir a aquisição de itens como álcool, giz, grampeador, clipe, pasta suspensa, tinta de impressora, verniz corretor ou algodão –exceto se forem para uso individual do aluno em atividades didático-pedagógicas.

O superintendente do Procon-MS, Marcelo Salomão, sustenta ser importante que os pais se preocupem, também, em verificar “se não há abuso na relação de material solicitado pela escola e não só nos preços dos produtos a serem adquiridos. Qualquer anormalidade deve ser denunciada ao órgão fiscalizador”.