A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

24/04/2009 14:08

Professores pedem compromisso com o ensino público

Redação

Os profissionais da educação de Mato Grosso do Sul entregaram, no início da tarde de hoje, documentos a Assomasul (Associação dos Municípios) e a Secretaria Estadual de Educação que pedem o cumprimento do piso nacional do magistério, além melhorias para o ensino.

"Nós solicitamos ao presidente da Assomasul, Beto Pereira, que cobre das prefeituras de todo o Estado o comprimento do piso, pois nós sabemos que os prefeitos foram orientados a não cumprir a lei", disse o presidente da ACP, Geraldo Alves Garcia.

Depois de serem atendidos na Assomasul, os professores seguiram em carreata para a Secretaria Estadual de Educação. Onde documento similar foi entregue à secretária Maria Nilene Badeca da Costa.

Na ocasião, foi esclarecido um mal-entendido, segundo a diretoria da Fetems (Federação dos Trabalhadores em Educação de Mato Grosso do Sul), alguns diretores de escolas se recusaram a aderir ao movimento, sobre a alegação de que teriam recebido ordens da Secretaria para isso.

"Nós lamentamos o ocorrido, mas a superintendente de educação, Sheila Cristina Vendrami, disse que não houve qualquer pressão para desmobilizar o movimento. O que aconteceu foi que alguns diretores quiseram ser mais régios que o rei", criticou Garcia.

O presidente da Fetems, Jaime Teixeira, lembrou em discurso aos manifestantes, que os diretores não deveriam se apegar ao cargo, pois é transitório.

Contaminação - Teixeira também rebateu algumas críticas de professores que não aderiram ao movimento e o desqualificaram com uma manifestação política e não um ato legítimo de reivindicações da classe.

"Não tem nada de político em nossa luta. Estamos juntos com diversas entidades nacionais e também do Estado. Esta manifestação não acontece só aqui, mas em muitos outros locais no país", lembrou. "Os professores que estão aqui hoje, não estão olhando para o próprio umbigo pedindo aumento, mas querem também melhorias para a educação pública nacional", destaca.

Segundo Teixeira, o dia de manifestação foi muito produtivo, já que, de acordo com suas estimativas, levou mais de oito mil pessoas às ruas de Campo Grande. "Mostramos que o professor está preocupado com a qualidade da educação".

Logo mais, às 15h30, representantes da Fetems estarão reunidos na PGE (Procuradoria Geral do Estado) para discutirem o cumprimento da lei 11.494, que instituiu o piso para o magistério e também o pagamento pela preparação das aulas.

O governo do Estado é um dos cinco que entrou com uma Adin (Ação Direta de Inconstitucionalidade) para tentar evitar o cumprimento total da lei, que tem de estar totalmente em vigor até 2010.

MEC deve homologar Base Comum Curricular na próxima quarta-feira
O Ministério da Educação informou que a Base Nacional Comum Curricular (BNCC), aprovada hoje (15) pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), deve ser ...
Presos da penitenciária federal da Capital são julgados por crime em RN
Um preso custodiado no presídio federal de Campo Grande foi julgado, ao lado de outros três homens, na quinta-feira (14) e nessa sexta-feira (15) por...
Governo Federal reduz período do horário de verão para 2018/19
O presidente Michel Temer assinou hoje (15) um decreto reduzindo em duas semanas o horário de verão em 2018. No ano que vem, a medida começará a vale...
Inscrições para o Vestibular 2018 da UFMS seguem abertas
A UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) segue com inscrições abertas para o Vestibular 2018, que selecionará alunos para cursos de gradua...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions