A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 14 de Dezembro de 2018

21/05/2009 16:44

Quadrilha monitorava vítimas de assalto há uma semana

Redação

Com as vítimas sob a mira de revólveres, dois assaltantes beberam uísque e vokda e negociaram objetos sem qualquer constragimento durante invasão a casa nas Moreninhas, em Campo Grande.

Seis pessoas da família foram mantidas reféns durante quatro horas. Enquanto isso, outros membros da quadrilha tentavam levar 3 veículos roubados ao Paraguai.

Assustadas, as vítimas pediram para ter os nomes preservados. A primeira a ser rendida foi uma mulher, que chegou em casa às 17 horas.

Segundo a Polícia, Marcos dos Santos Teles, 24 anos, e um garoto de 17 anos estavam à espera da vítima. Na sequência, o marido dela chegou ao local e também foi rendido.

O casal foi amarrado para que os assaltantes esperassem os pais de uma das vítimas, que mora na casa e tem uma caminhonete F-250. Os pais ligaram para saber se estavam bem em casa e a dupla obrigou o casal a dizer que sim.

Quando os pais chegaram também foram amarrados. Entretanto, os assaltantes sabiam que outro morador da casa tem um veículo Astra e aguardaram que ele chegasse. Ele estava com a namorada, que também foi rendida.

Com os carros em mãos, entraram em ação Jouvane Borguesan, 22 anos, Wellerson dos Santos Rolon, 21 anos, Pámela dos Dias, 21 anos, e Paula Fernanda Queiroz de Araújo, 19 anos. Eles eram encarregados de levar os veículos a Ponta Porã.

Um detalhe é que a mãe de Jouvane havia registrado boletim de ocorrência pelo desaparecimento do filho, que hoje "apareceu" já na delegacia.

Apenas os dois que tinham invadido a casa permaneram no local e começaram a separar equipamentos eletrônicos para levar. Com as peças escolhidas, eles passaram à negociação.

A TV seria vendida e uma colcha dada para a mãe de um dos envolvidos na ação. Os dois exigiram que o cofre fosse aberto, sob ameaça de matar uma das mulheres rendidas, na frente dos pais, e que isso seria "por culpa deles próprios". Por "não ter ido com a cara" de uma das vítimas, os bandidos a chutaram.

Durante a ação, a dupla manteve contato telefônico com um possível mandante, que era informado de cada passo do assalto. A Polícia apurou que a ordem para o roubo partiu de dentro do Estabelecimento Penal de Segurança Máxima e que por pelo menos uma semana os movimentos das vítimas foram monitorados.

Denúncia anônima levou à desarticulação da quadrilha. Em operação entre policiais da Deco (Delegacia de Combate ao Crime Organizado) e Garras (Grupo Armado de Repressão e Resgate a Assaltos e Sequestros) os cinco maiores de idade foram presos, mas o adolescente conseguiu fugir.

Os policiais foram à casa e prenderam primeiro Marcos, que teve tempo apenas de avisar ao mandante que "sujou". Já o garoto pulou muros de vizinhos e escapou.

A Polícia Militar de Sidrolândia foi acionada e conseguiu recuperar a caminhonete F-250 e o veículo Gol, que eram levados para Ponta Porã. Já o Astra, que também havia sido roubado, foi localizado abandonado nas imediações do presídio, no Jardim Noroeste.

MEC vai propor nova estrutura para cursos de pedagogia
O Ministério da Educação (MEC) vai encaminhar ao Conselho Nacional de Educação (CNE), na próxima semana, uma proposta de modificação dos cursos de pe...
Motoristas envolvidos em contrabando terão habilitação cassada
O motorista que for condenado por dirigir veículo usado para receptação, descaminho ou contrabando de mercadorias terá sua carteira de habilitação ca...
STF decide que Ministério Público pode cobrar multas de ações penais
O Supremo Tribunal Federal (STF) decidiu hoje (13) que o Ministério Público tem competência para ajuizar ações de cobrança de multas definidas em con...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions