ACOMPANHE-NOS    
OUTUBRO, SÁBADO  23    CAMPO GRANDE 30º

Cidades

Queda de ministro não afeta obras em MS, diz superintendente do Dnit

Por Fabiano Arruda | 07/07/2011 15:37

Mesmo com a queda do ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, em meio a denúncia de esquema de cobrança de propina na pasta, o superintendente do Dnit/MS (Departamento Nacional de Infraestrutura) garantiu que as obras e licitações em Mato Grosso do Sul não sofrerão qualquer influência ou prejuízo.

Segundo Miranda, quatro projetos do Estado, que estão aprovados, aguardam publicação de licitação, que deve ser feita assim que for anunciado um novo ministro. Da mesma forma devem proceder os contratos novos.

Marcelo também minimiza o anúncio de auditoria pela CGU (Controladoria-Geral da União) em contratos de obras a cargo do Dnit e da Valec. Disse que “não é porque o ministro saiu que as obras serão vistoriadas”.

“As obras do Dnit em MS são auditadas anualmente pelo TCU, CGU e pela auditoria interna do Dnit. Se alguma coisa tem de ser levantada assim será como todo ano fazem”, afirma.

Sobre seu cargo, Miranda considera que não há motivo para sair do posto. Ele complementa destacando que não foi avisado pelo Ministério dos Transportes sobre revisão de qualquer contrato de obra no Estado.

Repercussão - Na mesma linha do ex-governador do Esatdo, o deputado Antônio Carlos Arroyo (PR) também acredita que mesmo mudanças no ministério, Mato Grosso do Sul não terá obras afetadas, já que todas estão contratadas e não teriam irregularidade.

Ele afirma que as informações internas do partido são que a presidência assumiu o compromisso de manter algum nome do PR (Partido Republicano) no Ministério dos Transportes.

Já o deputado petista Paulo Duarte discorda da opinião de Arroyo e afirma que haverá impacto na mudança do ministérios nas obras do Estado. “Não tenha dúvida que (a mudança) vai afetar as obras do Estado, porque toda cúpula caiu, vai haver um impacto nos andamentos das obras, vamos esperar para ver se não vai ser muito negativo”, pontua Duarte.

Auditoria - O ministro-chefe da CGU, Jorge Hage, já designou equipe do órgão que fará, como determinado pela presidenta Dilma Roussef (PT), auditoria completa nas licitações, contratos e execução de competência do DNIT e da Valec envolvidas nas denúncias de irregularidades. O prazo fixado para conclusão da auditoria é 31 de agosto.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário