A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 18 de Janeiro de 2018

30/07/2013 14:36

Secretários descartam rede particular e vão “internar” pacientes em 3 UPAs

Edivaldo Bitencourt e Jéssica Benitez
Enquanto saúde vive uma das maiores crises da história, Bernal troca cor de UPA (Marcos Ermínio)Enquanto saúde vive uma das maiores crises da história, Bernal troca cor de UPA (Marcos Ermínio)

As secretarias de Saúde do Estado e do município descartaram utilizar leitos em hospitais particulares para solucionar o “caos” no sistema de emergência e urgência em Campo Grande. Os pacientes em estado grave vão ser “internados” em três unidades de saúde 24 horas por falta de leitos no PAM (Pronto Atendimento Médico) do Hospital Regional de Mato Grosso do Sul Rosa Pedrossian e pronto socorro da Santa Casa de Campo Grande.

A superlotação da emergência é antiga em Campo Grande, mas foi agravada nesta semana com a interdição do PAM do Hospital Universitário na segunda-feira pela Vigilância Sanitária Estadual. De manhã, 13 pacientes, sendo nove após sofrer infarto, estavam aguardando vagas em postos de saúde, que não possuem estrutura adequada para internação.

A situação foi tema de uma reunião de emergência, que demorou quatro horas, na Secretaria Estadual de Saúde. No encontro, os secretários interino de Saúde do Estado, Antônio Lastório, e do município, Ivandro Fonseca, definiram que vão ser mais rígidos na regulação das vagas de internação nos hospitais.

Fonseca admitiu que a Capital tem um déficit de 973 leitos hospitalares para atender a demanda de emergência e das cirurgias eletivas. Ele disse que o total corresponde a 59% da capacidade. No entanto, o secretário municipal de Saúde já se preocupou em isentar a atual administração do caos no setor. “É um problema antigo”, frisou.

Esquema de urgência – Os secretários e os diretores dos hospitais definiram que os pacientes vão ser “internados” em duas UPAs (Unidades de Pronto Atendimento dos bairros Coronel Antonino e Universitário e no Centro Regional de Saúde do Conjunto Aero Rancho.

A Santa Casa vai classificar os casos atendidos no Coronel Antonino, enquanto o HR fica com os pacientes do Aero Rancho. O HU vai fazer a classificação da UPA do Universitário. A UPA da Vila Almeida vai ficar na retaguarda para suprir eventual necessidade.

O Hospital São Julião, na saída para Cuiabá, também vai disponibilizar leitos para receber pacientes, mas não atender emergência.

Lastória voltou a ressaltar que o problema de saúde pública na Capital é nacional. Ele disse que a antecipação da abertura do novo PAM do HR não vai solucionar o problema, porque os novos leitos só vão suprir a demanda atual, já que a emergência já está acima do limite.

Antes da reunião, o secretário estadual de Saúde já havia antecipado que a rede particular não seria utilizada para receber pacientes do SUS. Ele disse que muitos acabam recorrendo ao SUS para os casos de emergência.

Nova cor – Apesar dos problemas na rede pública, a prefeitura encontrou tempo para trocar a cor da UPA do Bairro Coronel Antonino. Na tarde de hoje, operários pintavam a unidade de azul, cor do prefeito Alcides Bernal (PP).
A UPA estava nas cores laranja, que são ligadas ao antecessor, Nelson Trad Filho (PMDB).

Rede particular não tem como suprir pacientes do SUS, afirma secretário
A rede particular de Campo Grande não tem condições de suprir a demanda de emergência dos hospitais do SUS (Sistema Único de Saúde). Segundo o secret...
Pacientes que aguardam transferência podem recorrer à Defensoria Pública
Familiares ou amigos dos 13 pacientes, que aguardam vagas em hospitais nas UPAs (Unidade de Pronto Atendimento) de Campo Grande, podem recorrer à Def...
Capes recebe até esta sexta-feira inscrições a 400 bolsas de estudo
A Capes (Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior) recebe até amanhã (19) inscrições para programas no exterior. São 400 vagas dis...


Vamos trazer mais 5000 médicos estrangeiros e cada dois fazem cadeirinha com os braços pros pacientes sentarem... Teremos 2500 lugares a mais... Que GRANDE ideia!! Com um deficit de 1000 leitos ainda tem gente que acha que os médicos pedindo por estrutura pra trabalhar estão errados... Pagaram p ver e viram a realidade. Falta ESTRUTURA.
 
Marinna Souza em 31/07/2013 20:38:07
Que os médicos cubanos venham com esses leitos e resolvam o problema da saúde, que é a falta de médicos e não a falta de infraestrutura e melhor qualidade de trabalho!
 
camaroni de camargo em 30/07/2013 21:00:32
Só deve ser brincadeira de mau gosto dos nosso "ilustre " prefeito e seus secretários, o s Postos de Saúde não tem estrutura nem mesmo para tratar de uma pessoa que procura atendimento quando está com febre, vomitando e eles querem internar os pacientes de casos graves!!!! Ficaram loucos ou a falta de respeito com a POPULAÇÃO é tão grande que para eles isso não interessa. Esses Postos de Saúde são sujos, não tem médicos e quando tem é somente um clínico geral para fazer tudo, funcionários que não estão nem aí para as pessoas que ali vão em busca de atendimento e querem colocar pessoas que precisam de atendimento especializado? realmente não sei onde vamos parar com tamanho descaso, e os VEREADORES estão esperando o que para representar a população que votou e confiou na honra dos senhores!
 
eloisa fernandes em 30/07/2013 17:03:01
O que são 970 leitos, tragam mais médicos de Cuba!
 
Luís Inácio em 30/07/2013 16:46:23
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions