A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

18/01/2016 13:15

Servidores voluntários também receberão tablets para atuar como agentes

Flávia Lima e Michel Faustino
Secretário de Saúde Nelson Tavares falou ao Campo Grande News logo após reunião com  governadora em exercício Rose Modesto e outros chefes de pastas. (Foto: Jessica Barbosa/Arquivo)Secretário de Saúde Nelson Tavares falou ao Campo Grande News logo após reunião com governadora em exercício Rose Modesto e outros chefes de pastas. (Foto: Jessica Barbosa/Arquivo)

Após reunião na manhã desta segunda-feira (18) com os secretários de governo e responsáveis por órgãos e autarquias para falar sobre o plano de combate aos focos do mosquito Aedes aegypti nos prédios públicos, o secretário de Saúde do Estado, Nelson Tavares, afirmou que os servidores selecionados para atuar em cada prédio também receberão smartphones e tablets para registrar as ocorrências verificadas nos setores em que atuam e enviá-las em tempo real para a Sala de Situação, responsável pelo monitoramento das ações de combate á dengue em Mato Grosso do Sul.

Segundo o coordenador estadual de controle de vetores, Mauro Lucio Rosa, além de verificar se os companheiros de trabalho estão mantendo a limpeza do prédio, evitando o acúmulo de objetos que possam se transformar em focos do Aedes aegypti, o colaborador voluntário será um elo entre o comitê e o órgão em que trabalha, fazendo relatórios diários sobre os problemas observados.

Até mesmo colegas que apresentem sintomas de dengue, zika vírus ou chikungunya deverá ser relatado pelo servidor escolhido, que também poderá fazer o encaminhamento necessário

"Vamos reproduzir em cada prédio o trabalho do agente que atua no interior. Esses servidores serão treinados para garantir a mesma eficiência", ressalta Tavares.

O número de funcionários voluntários ainda será definido, mas o secretário acredita que deve passar dois mil. Ele revela que o projeto já teve início em algumas secretarias, porém somente nesta segunda-feira ele pediu a nomeação dos voluntários que devem ter os nomes publicados no Diário Oficial até o fim da semana para que a capacitação tenha início.

"O trabalho será exatamente o mesmo que já desempenhamos no projeto-piloto implantado em alguns municípios", afirma o secretário.

Quanto as ações que vem sendo desenvolvidas no interior do Estado, Nelson Tavares diz que a estratégia vem mostrando eficácia, já que o governo mantém contato direto com as administrações, além de oferecer suporte. A partir desta semana serão realizadas reuniões com os 17 municípios que receberão a extensão do projeto e a ideia é que as regiões onde o LIRA (Levantamento Rápido do Aedes aegypti), apresenta os índices mais altos, sejam as primeiras a receber o projeto.

Conforme o último levantamento, os municípios de Caracol, Nioaque e Bonito são alguns dos municípios com alta incidência de dengue.   



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions