A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 11 de Dezembro de 2017

16/04/2013 13:53

UFMS barra estudantes para votar adesão de HU à Empresa Brasileira

Edivaldo Bitencourt e Viviane Oliveira
Alunos ficaram do lado de fora de reunião sobre HU (Foto: Marcos Ermínio)Alunos ficaram do lado de fora de reunião sobre HU (Foto: Marcos Ermínio)

Estudantes da UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul) foram barrados da reunião do Coun (Conselho Universitário), que analisa, no início da tarde de hoje, a adesão do Hospital Universitário à EBSERH (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares S.A.).

Cerca de 50 alunos protestam contra a privatização do hospital, que acontece na sala de reuniões da Reitoria da instituição. Eles estão com faixas, cartazes e um megafone para fazer o ato.

Segundo a acadêmica de Medicina, Vitória Marcondes, de 20 anos, a adesão do HU à empresa pública criada pela presidente Dilma Rousseff (PT) não vai solucionar os problemas da instituição. Ela disse que o Tribunal de Contas da União considerou ilegal a contratação de servidores sem concurso público. “Sempre faltou funcionários”, contou.

A estudante teme o comprometimento do programa de estágio oferecido pelo HU. Ela também é contra a criação do curso de Medicina em Três Lagoas, porque não existe condições nem infraestrutura.

A estudante de Nutrição, Natália Henkin, de 20 anos, considera um absurdo “a privatização do HU”. Ela conta que o programa não deu certo em outras cidades brasileiras.

A acadêmica de Medicina Veterinária Stefani Santana, de 21 anos, também participou do protesto. Ela disse que a reunião do Coun deveria ser aberta. O estatuto da universidade proíbe a tomada de decisões em reuniões fechadas.

Servidores fazem protesto amanhã contra privatização do HU
Os servidores filiados ao Sista/MS (Sindicato dos Trabalhadores das Instituições Federais de Ensino do MS) realiza amanhã em frente à reitoria da UFM...
Hospital Universitário terá R$ 5 milhões do Ministério da Saúde até fim do ano
Primeira parcela foi liberada no ano passadoO Hospital Universitário de Campo Grande vai receber até o fim deste ano R$ 5 milhões do governo federal...
Morre mais uma pessoa no CTI do Hospital Universitário
Morreu à 0h50 de ontem, no CTI (Centro de Terapia Intensiva) o paciente Arlan Ortega, de 43 anos. Foi a segunda morte após descoberta de um surto da ...


Os alunos só fizeram bagunça la na porta da reitoria,onde estava sendo a reunião do conselho.Eles tem voz sim,inclusive esta moça da foto é uma das conselheiras e estava lá dentro na reunião com outra conselheira e um aluno representante do curso de medicina q foi convidado a participar da reunião.
 
José Magalhães em 16/04/2013 17:40:12
É simplesmente INADMISSÍVEL que a Reitoria da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul promova um Conselho dessa estirpe SEM a participação dos estudantes, visto que quaiquer decisões lá dentro tomadas afetam-nos diretamente. Não seria ideal que eles possuíssem voz, para dizer do que realmente PRECISAM?

A gestão da reitora Célia Maria só trouxe a abertura de inúmeras investigações no MPF. Se for apurada sua prática ilícita, duvido muito que os estudantes concordem com tal pessoa no maior cargo da Universidade.

A Reitoria continua a não oferecer subsídios para a alimentação no Restaurante Universitário a todos os alunos - tão somente uma mísera parcela de 1.200, a um preço de R$2,50. O Restaurante é pra TOD@S. O Hospital é pra TOD@S. Fora, reitora! Chega de improbidade!
 
José Soares em 16/04/2013 14:58:04
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions