A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

22/06/2010 14:59

Votação de habeas corpus de cônsul adiada pela 5ª vez

Redação

Pela quinta vez, foi adiada a conclusão do julgamento que pode determinar novamente a prisão do cônsul da Síria no Estado, Kabril Youssef. Ele é personagem de uma briga judicial de mais de 3 anos com a ex-esposa, Cremilda de Fátima, por causa do não pagamento de pensão alimentícia para a filha de 10 anos do ex-casal.

O habeas corpus, primeiramente negado pelo relator do processo, foi retirado de pauta no dia 20 de abril, na primeira vez que foi a julgamento pelos três desembargadores da 1ª Turma Criminal do TJ. No dia 1º de junho, a apreciação foi adiada em razão do horário adiantado, como informa o processo.

No dia 8 de junho, novamente o caso foi colocado em pauta e dessa vez, dois desembargadores votaram, o relator, Dorival Moreira, e a desembargadora Marilza Fortes. Os dois negaram o habeas corpus.

O terceiro integrante da turma, João Batista Costa Alves, pediu vistas, e a continuação do júri foi marcada para dia 17 de maio.

Na semana passada, a pedido dele, o julgamento foi de novo adiado, para hoje, quando foi a vez da desembargadora Marilza Fortes pedir vistas. A nova data para a conclusão é 29 de abril.

O caso Kabril chegou a ficar preso em fevereiro, primeiro numa delegacia e depois em um hospital, por dois dias, por não pagar uma dívida de pensão que à época superava R$ 70 mil.

Foi solto, sem pagar a dívida, graças a uma decisão provisória concedida durante um plantão da Justiça, no dia 26 de fevereiro.

Mesmo que Costa Marques vote favorável à liberdade de Kabril, a indicação é que a decisão final seja contrária a ele, a menos que algum dos outros dois mude sua decisão em razão do voto do desembargador que ainda não se posicionou.

Essa foi a terceira vez que o julgamento foi adiado. Na primeira vez que o caso foi à pauta, em 20 de abril, foi retirado. Na segunda vez, no dia 1º de junho, terça-feira passada, a apreciação foi adiada em razão do horário adiantado, segundo informa o processo.

O caso - A ex- mulher de Kabril foi à Justiça por causa de uma dívida de pensão alimentícia que chegava, à época, a R$ 74 mil em pensão alimentícia.

Ele foi liberado pela Justiça, mesmo sem pagar o valor, o que revoltou a ex-mulher. Em entrevista dada após a liberação de Kabril, ela disse que há 3 anos batalha na justiça, sem sucesso, para assegurar a pensão à filha.

Mega-Sena acumula de novo e prêmio estimado sobe para R$ 43,5 milhões
Mais uma vez a Mega-Sena ficou sem vencedor na faixa principal e, com isso, a premiação acumulou e pode chegar a R$ 43,5 milhões no próximo concurso,...
Mega-Sena pode pagar R$ 39 milhões no sorteio deste sábado
A Mega-Sena deste sábado (16), que está acumulada, pode pagar R$ 39 milhões para quem acertar os seis números. O concurso 1.997 ocorre às 20 horas, h...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions