ACOMPANHE-NOS    
AGOSTO, SEGUNDA  08    CAMPO GRANDE 20º

Boa Imagem

Você precisa ter opinião formada sobre tudo?

Preciso dizer, de antemão, que não há problema em falar “não sei”, ou “prefiro não opinar"

Por Larissa Almeida (*) | 28/06/2022 09:54

A nossa imagem é construída diariamente pelo modo como agimos diante das situações, como tratamos as outras pessoas, como nos vestimos, ou sobre o que falamos. Todas as nossas ações e escolhas se somam, peça por peça, para formar um grande quebra-cabeça com informações sobre nós. É preciso pensar em cada uma das nossas atitudes diárias com muito cuidado, porque tudo contribui – positiva ou negativamente – para a imagem final que as pessoas têm de nós.

Neste texto vou falar especificamente sobre os que têm “opiniões formadas sobre tudo” e costumam publicizar isso. Ao longo da vida, nos deparamos com pessoas assim e, infelizmente, muitas nem se dão conta deste comportamento. Mas com o advento da internet (e com ela as redes sociais), as ações de todos estão cada vez mais expostas. E o contraditório nisso tudo é que muita gente acredita que deve, sim, se posicionar sobre todos os assuntos, mesmo que saiba muito pouco ou quase nada sobre aquilo. O posicionamento obrigatório, devo dizer, não é necessário e pode evitar muita dor de cabeça futura.

Nos últimos tempos tenho visto uma série de linchamentos virtuais, com pessoas vivendo em looping um eterno FLA X FLU, no qual cada um tem a sua torcida e o seu posicionamento certeiro, contra ou a favor, acerca de todos os temas. Como se a vida fosse simples assim, ou preto ou branco. É preciso lembrar que existe uma infinidade de tons de cinza.

Pior do que ter opinião formada e tecer comentários desnecessários na vida real, é fazê-lo na internet, onde é tudo público e notório. Já parou para pensar sobre isso? Vejo diariamente pessoas que eu conheço xingando famosos/influenciadores nos comentários de redes sociais, discutindo, fazendo textão, compartilhando informações sem saber a procedência, e opinando sobre assuntos sobre os quais não tem conhecimento, nem técnico e muito menos sobre todos os fatos.

Não há problema em falar não sei, não tenho opinião sobre isso, ou prefiro não opinar. Tantos conflitos seriam evitados. Muito pelo contrário. Até porque, ninguém sabe tudo e aprendemos diariamente uns com os outros.

Todos os nossos comentários e opiniões, no real e no virtual, depõem contra ou ao nosso favor. Se não for por pensar no outro, que pode se magoar com dizeres não solicitados, lembre-se da imagem que está criando a seu respeito. Ninguém quer ser conhecido como sem noção ou inconveniente, não é mesmo? Ou muito menos por ser aquela pessoa que quer impor seu pensamento sobre os outros. Infelizmente, todo mundo conhece alguém assim e poucos conseguem conviver, tanto no âmbito profissional, quanto no pessoal.

Vi na internet, há tempos, um diagrama interessantíssimo para refletir sobre o desejo constante de comentar sobre tudo. Compartilho aqui com vocês para ilustrar quando vale a pena opinar/comentar. Aquele ditado “Melhor ser feliz do que ter razão” nunca foi tão necessário.

(*) Larissa Almeida é formada em Comunicação Social pela UFMS e pós-graduada em Influência Digital pela PUC-RS. Trabalhou durante 14 anos na área de comunicação e imagem em importantes instituições como Caixa Econômica Federal, Prefeitura de Campo Grande, Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, Senado Federal, além de ter coordenado a comunicação da Sanesul. Consultora de imagem formada pelo RML Academy e Centro Universitário Belas Artes de São Paulo. Especialista em Dress Code e comportamento profissional por Cláudia Matarazzo e RMJ Treinamento e Desenvolvimento Empresarial.

(*) Larissa Almeida é formada em Comunicação Social pela UFMS e pós-graduada em Influência Digital pela PUC-RS. Trabalhou durante 14 anos na área de comunicação e imagem em importantes instituições como Caixa Econômica Federal, Prefeitura de Campo Grande, Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, Senado Federal, além de ter coordenado a comunicação da Sanesul. Consultora de imagem formada pelo RML Academy e Centro Universitário Belas Artes de São Paulo. Especialista em Dress Code e comportamento profissional por Cláudia Matarazzo e RMJ Treinamento e Desenvolvimento Empresarial. Siga-me no Instagram.

Nos siga no Google Notícias