A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 23 de Junho de 2017


  • De olho na TV
  • De olho na TV

    com Reinaldo Rosa


21/05/2014 08:50

Aonde a Globo vai a boiada vai atrás

Reinaldo Rosa
Atores são a aposta da Globo para elevar a audiência de novela (Foto: Divulgação)Atores são a aposta da Globo para elevar a audiência de novela (Foto: Divulgação)

DOU NÃO DOU - Matéria com fim social é dever da imprensa. Reportagem do Jornal do SBT/MS, de terça-feira, focalizou posto de recebimento de agasalhos “em um shopping da capital”. Aos bons samaritanos interessados em doar as vestimentas citadas, restou opção de fazer um tour pelos shoppings da cidade. Ou não doar nada por falta de informação da repórter. Simples assim.

FLORZINHA NO CARDENO - A irritante soberba da rede Globo consegue impor o esculacho de regras pétreas dos bancos de faculdades de comunicação. “O quê; quando; como; onde e porquê” –elementos básicos de uma notícia- viraram peças de museus para jornalistas mais preocupados com modismos na profissão.

VAI QUE VOU TAMBÉM - Com a idiota regra de ‘não fazer propaganda gratuita em reportagens’ o truncamento da informação deita e rola –em quase todas as formas da imprensa-. Profissionais não colocam a iniciativa da Globo em discussão, apenas seguem a ‘novidade’ da maior rede de TV brasileira. Se ela faz assim, é melhor não contestar; pensam alguns. E dane-se quem sente as consequências de imprecisões de cômodos jornalistas que seguem a manada.

VIRAL – Longe dos holofotes da televisão e dos estúdios de rádio, o contágio atinge a imprensa escrita também. Em matéria de 44 linhas, jornal da capital publicou matéria sobre venda casada de uma construtora. Adrenalina pura para quem sonha com a casa própria.

MINHA CASA MINHA VIDA – Excesso de cuidado (do editor) ou reserva de mercado publicitário futuro. Por ser transcrição de texto contido nos autos do processo do Procon o jornal não corre qualquer possibilidade de sanções por parte da empresa focalizada na matéria. No prejuízo, ficam leitores e possíveis clientes da irresponsável construtora.

OPS – Willian Bonner assumiu para si erro de Patrícia Poeta que confundiu Mato Grosso do Sul com o Mato Grosso. Erro recorrente que vai continuar ad eternum e não vai dar em nada. Mudança é apenas tema de palanques eleitorais. Só isso.

TEM MAIS – Aviso a interessados: o rola rola de Luiza e Laerte, na novela ‘Em Família’ ainda terá mais alguns capítulos. Foi a fórmula encontrada pelos autores pala alavancar a audiência da trama. Uma das mais baixas audiências do horário, na Globo.

Grupo Acaba vive, mesmo fora da mídia
ESTAMOS JUNTOS – Mesmo ausente da grade musical da maioria de emissoras de rádios e retransmissoras de TVs locais, o Grupo Acaba vive –e sobrevive-. ...
Música regional de MS é atração rara nas emissoras locais
ESTRELAS FAZEM SINAL – Paulo Simões, Geraldo Roca, autores da música 'Trem do Pantanal', considerada hino não oficial de MS, não têm o destaque merec...
Só um 'não' ao ouvinte pode tirar rádio da mesmice
LINHA FECHADA – Quando é preciso dizer ‘não’. Difusora AM também abre espaço para atendimento de pedidos musicais dos ouvintes. Perigo à vista; maior...
Rádio muda pouco na mudança da faixa AM para FM
NADA DE NOVO – Bolo gigante recheado de alianças na festa do dia de Santo Antonio, nesta terça-feira foi, de novo, notícia na TV Morena. E, novamente...



Sou jornalista e também acho ridículo e ao meu ver, uma propaganda "de graça", individualizada nao deve ser feita. Mas se você esta falando do local, falando de tal produto, serviço ou ação e não dizer o nome, endereço de uma vez é só para mais enrolação e complicação talvez.
Porque, dizer que "um shopping que fica na avenida tal.....e outros adjetivos" e não dizer simplesmente o nome...é para até brincar com a 'inteligência' alheia.
É ou será propaganda se você escrever, gravar sempre de um só local e com a marca ou cores conhecida.....assim nao da ne.
 
Lucio Borges Ortega em 22/05/2014 09:54:31
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions