A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 28 de Fevereiro de 2017


  • De olho na TV
  • De olho na TV

    com Reinaldo Rosa


23/06/2014 09:55

Avesso do avesso do avesso da leitura

Reinaldo Rosa

VC NA COLUNA – “Hoje vi críticas no Campo Grande News dizendo que é desigual a briga dos pré-candidatos a cargo eletivo que permanecem no ar em veículos de comunicação, até a homologação de seus nomes pelos partidos... Sou jornalista e tenho no rádio o meu sustento, e devido à lei eleitoral devo sair do ar no dia 30, para concorrer às eleições deste ano. O médico, o advogado, entre outras profissões, podem continuar trabalhando e eu não... Pergunto ao colunista Reinaldo Reinaldo Souza Rosa, o que é mesmo injusto? Mas enfim, opinião é assim mesmo...estou apenas manifestando a minha... (Joel Siva)

R DO R – 1; injustiça é quando uma (re) solução não beneficia duas partes. 2; comentário da coluna (de 20/6) fez clara referência a ‘eternos – e conhecidos - candidatos’ (portadores de mandatos) inquilinos de emissoras de rádio e repetidoras de TVs favorecidos por verbas públicas. 3; antes de convenções partidárias (que acontecem ao longo desta semana) ‘o médico, o advogado, entre outros profissionais’ são meros pretensos candidatos.

REPLAY - Segundo a Lei Eleitoral ‘seis de junho de 2014 é a data a partir da qual é vedado às emissoras de rádio e de televisão transmitir programa apresentado ou comentado por candidato escolhido em convenção (Lei nº 9.504/97, art. 45,§ 1º)’. Dia 30/6 - Último dia para realização de convenções destinadas a deliberação sobre coligações e à escolha de candidatos.

INCONGRUÊNCIAS – Lei Eleitoral exige saída de apresentadores de rádio e televisão no dia 6 de junho e os consagra como (reais) candidatos a partir das convenções de 30 de junho. Este um dos ‘furos (que) mantêm apresentadores-candidatos no ar’ abordado na coluna anterior.

VC NA COLUNA II – “Faz teeeemmmpo que falam isso. (detentores de mandato em rádios e TVs). Em meu "achismo", sinceramente penso que em nada influencia. Exemplo, um "famoso" Deputado que tem hoje dois programas de TV e ainda a rádio há muitos anos, e não causa simpatia alguma em muitos. Inclusive sua mulher levou "fumo" nas últimas eleições. Eu, por exemplo, jamais votei ou votaria nele e nem em qualquer um de sua origem. O cara tem que prestar é "na vida real", nos bastidores. Ser um ser humano de verdade, de valores. Enfim, também só dou minha opinião”. (Denise Ferreira)

VC NA COLUNA III – “O grande problema são os políticos profissionais que usam nossa profissão para sua promoção, doando cesta básica na TV. Infelizmente, a não exigência de diploma para jornalista (a discussão não é essa) permite que a profissão seja usada de forma irresponsável, inclusive para atacar seus opositores. O uso político do jornalismo também afeta a credibilidade, mesmo dos profissionais mais sérios. Enfim, não há muito que se fazer”. (Fernando Hassessian)

OK. É SIMPLES - "Não é racional fazer a analogia entre o uso dos meios de comunicação por apresentadores que disputam mandatos eletivos e outras profissões que não possuem semelhante visibilidade. Trafegar por horas nos microfones de uma rádio ou ante as câmeras de TV é abuso de poder, sim; é quebra do princípio de isonomia. Ora, o dentista e o médico atendem pacientes em época de eleição, mas não têm rádio e nem TV para exibir-se”. (Edson Moraes – jornalista)

ATRASOS – “Minha opinião é que deveriam ser proibidos durante o ano todo em que haverá eleições, a aparição de candidatos em programas nestes veículos para que o eleitor desvincule sua imagem popularizada por estes meios e não confunda política com as benesses patrocinadas por estes programas, tipo cestas básicas bolos de aniversários óculos e o caralho a quatro. Por conta disto, Campo Grande regrediu décadas em apenas um ano e dois meses”. (Antonio Mazeica)

Programa resgata causos do futebol regional
CONTA OUTRA – O futebol sul-mato-grossense – graças a alguns – vive na história do torcedor local. Jogadores, dirigentes e técnicos estão no ‘Conto d...
Público dando um show no futebol de MS
QUEM NÃO AJUDA – Domingo de ‘Comerário’ no Morenão. Se dependesse apenas dos torcedores, o futebol de Mato Grosso do Sul teria vida longa no cenário ...
Caso da primeira-dama hackeada passou batido
EMPODERADO II – Talmir Nolasco, outro personagem histórico do rádio de MS, ‘deu um tempo’ aos microfones. Depois de atuar na campanha eleitoral do PS...
Rádio local disputa espaço com futebol na TV fechada
EMPODERADO – Personagem da história do rádio sul-mato-grossense, Nivaldo Mota atualmente dedica o talento em outras ondas. Em tempo real, entrevista ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions