ACOMPANHE-NOS    
JULHO, QUINTA  09    CAMPO GRANDE 16º

De olho na TV

Ligações perigosas com Bernal

Por Reinaldo Rosa | 07/10/2013 09:22

MORDAÇAS - Um filósofo -que não pediu para ser identificado (está morto)- disse: "posso não concordar com uma só palavra do que dizes. Porém não vou tirar de você o direito de fazê-lo". Após esta fala surgiu o contraditório para o judiciário e a censura para parte de militares e ridículos tiranos. Filosofia é igual receita de bolo; cada um tem a sua.

FALA POVO - "Caro Reinaldo, vários comentários seus remetem aos noticiosos radiofônicos como uma crescente na cidade. E uma emissora exclusiva (Band News, CBN) em Campo Grande, teria mercado e aceitação? Há cidades menores e interioranas que já contam com uma destas". (HELIO SILVA)

R DO R - Não teria mercado em curto prazo. Arcaicas formas de 'fazer rádio' ainda estão presentes nas emissoras do Estado. É muito pequena a distância entre poderes constituídos e proprietários de empresas de comunicação. Resultado; temos programações descompromissadas com a informação e formação de opinião dos ouvintes. Simples assim.

ELOS DECORRENTES - Lúcio Maciel, dirigente da Agetran (órgão municipal) é presidente do Sindicato dos Radialistas. O atual presidente da seccional sul-mato-grossense Ordem dos Advogados do Brasil, Júlio Cesar, tem contrato firmado de advocacia com o prefeito. O gerente da rádio UCDB é Maciel Dias e, hoje, estreou Eraldo Maciel no comando do Jornal UCDB. Difícil não sentir no ar ligações perigosas com a falta de credibilidade da informação.

SERVIR A DOIS SENHORES - "Se você não serve a italiano nem a peraltas, você serve pra quê"? Frase que já se prenunciava como destino final de mais uma equipe de jornalistas compromissada com a realidade dos fatos.

ABRAÇO DE AFOGADO - Sentindo-se prejudicado em rescisão unilateral de contrato de trabalho, jornalista profissional buscou amparo no sindicato que -teoricamente- o representa. Como resposta recebeu o lacônico comentário de que 'já tem outro em seu lugar' por parte do dirigente-mor sindical. Pra quê brigar cuzómi, né?

ENTRE A CRUZ E O ESTILINGUE - Eraldo Maciel já espinafrou vereadores (que votaram contra interesses da prefeitura de Campo Grande) e o governo do estado através do Facebook. No comando do Jornal UCDB ele ficará refém do 'e agora?'. Se recuar em relação aos integrantes da Câmara Municipal, torna duvidosa sua opinião; se avançar torna a informação tendenciosa.

FORÇAS NÃO OCULTAS - Alugar espaço para programas jornalísticos em rádio -ou TV- em Mato Grosso do Sul é ação de profissionais que têm coragem de andar sobre o fio da navalha. A ligação umbilical entre classe política e proprietários de veículos de comunicação limita -em muito- o desempenho de quem acredita no sacerdócio da informação correta. Críticas de 'reporterzinhos' nem sempre são digeridas pela classe dominante. Joel Silva é a mais recente vitima de velhas formas do poder.

COR DA CHAPA - Maciel Dias, gerente da UCDB calcula em uma semana o prazo para o estreante Jornal UCDB ficar nos moldes desejados pela equipe. Pela estreita ligação com o prefeito da capital, será hercúleo o trabalho de seus integrantes para não colorir de branco o informativo radiofônico. O alcaide foi a estrela principal da primeira edição da atração.

IMAGEM É TUDO - Ainda a discussão sobre proibição da atuação do viamorena.com na partida entre Portuguesa e Corinthians. A Rede Globo tem os direitos de transmissão com exclusividade e cede alguns jogos para a Band. Emissoras de rádio transmitem o Brasileirão por que não geram imagem, segundo o cronista esportivo Ramão Cabreira. O lúdico trabalho de Festas e Eventos registrou apenas os bastidores da grande festa do futebol que, de vez em quando surge por aqui. Simples assim.

FALA POVO II - "Quero aqui parabenizar o cronista esportivo Elson Pinheiro, que no programa da Difusora, detonou a proposta enviada pela TV Morena à FFMS. Pasme os senhores; a TV do "Plim Plim" quer que o campeonato sul-mato-grossense de 2014 seja disputado em dois meses Isso é uma vergonha e Elson Pinheiro chamou a proposta de "indecente e indecorosa, e que o presidente (Francisco) Cezário tinha que rasgar (a proposta) e jogar no lixo". Essa TV Morena, assim como nossa Federação é uma piada mesmo; dois males do nosso Estado. Fiquei sabendo que os clubes de MS, não recebem direito de arena, pelas transmissões dos jogos. Como esse futebol vai pra frente desse jeito, com tantos oportunistas como a TV Morena só sugando"? (MARCIO CENISTA)

FALA POVO III - Filho da matéria. “Demorei a entrar nessa roda, e com o bom nível do debate, resolvi dar minha opinião, principalmente sobre o nível do nosso rádio esportivo. Repito a minha opinião que expressei a poucos dias numa postal no Face dos colegas Thiago Lopes de Faria e Ramão Cabreira: temos uma excelente escola no rádio esportivo de Mato Grosso do Sul, desde outrora. Nos orgulhamos de quando o saudoso Marcelo Trad e Arlindo Florentino completaram a equipe do "pai da matéria" na Rádio Globo de SP, em que o Reinaldo Costa veio transmitir uma partida do campeonato brasileiro no Morenão e disse à equipe de produção da Globo, "pode deixar que comentarista e repórter eu viabilizo lá em Campo Grande". Em 2006, pela Copa do Brasil Marcos Silvestre e Ricardo Paredes transmitiram para a Tupi do Rio, etc”. (ARTHUR MÁRIO)