ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, DOMINGO  05    CAMPO GRANDE 27º

De olho na TV

Milton Nascimento encanta, mais uma vez

Por Reinaldo Rosa | 30/07/2018 14:31

FIB – Carisma de Milton Nascimento prevaleceu na apresentação em Bonito, no Festival de Inverno de Bonito. Evento marcou a estreia da TV Educativa com transmissão direta e sofisticado equipamento que a colocou na onda da TV Digital.

PARALELAS – Turistas presentes ao evento registraram rasgados elogios às condições de estradas comparando-as à anos anteriores. A organização também foi bem lembrada.

MEMÓRIAS DO CÁRCERE – Acostumado com manchetes televisivas em programas popularescos, jornal impresso de Campo Grande, nesta segunda-feira, não perdeu a pauta. “Lula manda mensagem de (dentro de) cadeia de Curitiba”, mancheteou solene.

FOI BEM - Ben-Hur Ferreira, no ‘Tribuna Livre’, da Capital FM, fez boa análise dos últimos acontecimentos da política local. Mexidas na campanha do MDB mostraram aos ouvintes possíveis rumos a tomar. Ou não.

QUANTO MAIS BATE – O radiojornalismo local, nesta época preliminar da campanha eleitoral, coloca os microfones para difusos discursos ao gosto dos ouvintes. No mesmo programa, o deputado federal Wander Loubet deu a entender que nem tudo está perdido para o PT.

LULA LIVRE – O encontro, no Rio de Janeiro, denominado de Show ‘Lula Livre’, com a presença de diversos segmentos da música nacional, teve pequena pauta nas redes de TVs. Cautelosas, emissoras não se comprometem com futuros anunciantes –possíveis vencedores de outubro próximo-.

JAIR SE ACOSTUMANDO – Mesmo comportamento em relação ao candidato da direita, Jair Bolsonaro. Emissoras de rádio e televisão não deram a mesma importância que industriais que foram ouví-lo na CNI –Confederação Nacional da Indústria-.

QUEDA PARA O ALTO - "Você pode achar que eu caí demais, mas a verdade é que eu não caí. Eu desmoronei”. Mais do que nunca, Neymar mostra que se transformou em produto. Inspirado texto de publicitário mostrou que ele só pensa naquilo; cifrões. A mando do pai.

JÁ VI ESSE FILME – “O dólar nas alturas não está estimulando ninguém comprar nada lá fora. Nem as mais ou menos poderosas TVs. Está aberta a temporada de repetição de filmes na maioria das emissoras. Salvo raras e honrosas exceções, a ordem é segurar os investimentos”, comenta Flávio Ricco, no Uol.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário