ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SÁBADO  11    CAMPO GRANDE 26º

De olho na TV

Quem fala o que quer no rádio

Por Reinaldo Rosa | 02/08/2013 09:56
Quem fala o que quer no rádio

CAUSA E EFEITO - O presidente da OAB/MS, Júlio Cesar Souza Rodrigues, recebeu, nesta quarta-feira, o presidente do Sindicato dos Radialistas e Publicitários Profissionais - Sintercom/MS-, Lúcio Maciel. O sindicato anunciou à seccional que está fazendo análise de atuação de políticos nos veículos de comunicação no estado e, por sua vez, a Ordem dos Advogados anunciou assessoramento para a pauta de reivindicações dos radialistas a ser apresentada junto ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE/MS).

JOIO E TRIGO - Programação da religião católica pelo rádio está afeta à Cúria Metropolitana que já existia como entidade gestora. Atrações voltadas ao público evangélico se dão por conta da falta de vontade -ou iniciativa- de empresários da comunicação que têm no aluguel de espaço a cômoda forma de vender sua grade publicitária.

FALA POVO - Minha gente, não devemos esquecer que rádio e TV são concessões publicas. Vai uma pergunta: se é concessão pública, como essas empresas vão parar nas mãos de Igrejas católicas e evangélicas de todo o país? (RODRIGO NASCIMENTO ANTUNES)

O OVO OU A GALINHA? - Católicos têm concessões para exploração de emissoras de rádio. Evangélicos -e outros segmentos religiosos- alugam-no.

ENQUANTO DER - O empresário Clemêncio Ribeiro, durante determinado período, manteve um programa de rádio, na capital. O citado período foi enquanto duraram suas contínuas eleições para vereador; banido pelo eleitorado -e sem verba para publicidade parlamentar- a 'atração' saiu do ar. Simples assim. Nóis é do mato mas nóis não é bobo.

DIREITO DE RESPOSTA - Teor desta coluna foi enviado aos vereadores que mantém programas de comunicação eletrônica para manifestarem-se. Não houve resposta "até o fechamento desta edição", como diriam alguns coleguinhas.

SONHO MEU - Mulher humilde foi 'premiada' com o bolo de aniversário sorteado em programa de TV, comandado por parlamentar do estado. Aplicou tudo de si para fazer a melhor festa de 15 anos da filha, pois além do bolo teria a presença da 'nobre excelência'. Na casa alugada para o evento não compareceram o bolo nem o visitante ilustre.

FALA POVO II - "Sem querer defender os políticos, pelo contrário. É preciso também agir contra essa festa de locação de horário em rádio para igrejas, principalmente as "emergentes" ou criadas de última hora. Também nesse festival de anúncio do fim do mundo, supostos pastores, diáconos, presbíteros e outros serventes do dono da igreja, se atrevem como "noticiaristas" lendo jornais ou sites. Tudo correndo ao Deus dará, estufando o bolso dos donos de rádio (e estes) nem aí com quem estiver ouvindo. Volto a lembrar que o despertar do Ministério do Trabalho, Anatel, MPF, Receita Federal e outros com certeza conserta o vício. (AVELINO NETO)

MESTRE E CÁTEDRA - Leitor conhecedor e apreciador do português corretamente falado nas ondas do rádio manda recado aos novos apresentadores. "Na FM Uniderp que é laboratório, o apresentador do "noticiário" disse que em Campo Grande fazem 22 graus. Será que não tem um professor pra ensiná-lo que é faz 22 graus? Não defendo os políticos de forma alguma, alias detesto, mas também vamos eliminar os profissionais ruins. Verbo fazer é impessoal quando empregado no sentido de tempo passado" ensina Gilson Giordano.

CENAS QUENTES - Félix (Mateus Solano) foi exposto diante de toda a família, quando Edith (Bárbara Paz) mostrou as fotos do executivo com seu amante. Paloma (Paolla Oliveira), apesar das desconfianças sobre a orientação sexual do irmão, sempre desmentiu as fofocas dos outros.