A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 23 de Junho de 2017


  • De olho na TV
  • De olho na TV

    com Reinaldo Rosa


16/09/2016 12:16

Rede Globo segue submissa aos governos de plantão

Reinaldo Rosa

SERIEDADE – A jornalista Flávia Vicuña, apresentadora do Guanandi Notícias (que deve mudar de nomenclatura), fora do ar atualmente, está em outra. Coordenação de campanha tucana, em Corumbá, vale-se do prestígio da moça para dar credibilidade às recorrentes promessas eleitorais.

TRIPLA JORNADA – Jornalista de ‘O Progresso’, de Dourados, Marcos Santos também marca presença nos corredores da Assembleia Legislativa. Esforçado, ainda tem tempo de atuar na coordenação de campanha de candidato à prefeitura local. Vida dura.

A QUEM INTERESSA – Difícil saber qual o ‘melhor-pior’ dos popularescos jornalísticos (?) televisivos no horário do almoço, em Campo Grande. A escrachada ‘Mocreia’, da Rede MS, não é o jornalismo pensado e aprovado por Ulysses Serra Neto, o Noninho. Com certeza.

ATRAÇÃO MARCADA – Ignora-se a razão da ausência de outras emissoras de Campo Grande na transmissão das apurações das urnas em campanhas eleitorais. Liderança no setor, a Rádio Capital FM parece desestimular outras concorrentes a entrarem no páreo.

FALANDO NISSO – A real concepção do termo rede, da Rede MS de rádio e televisão, resultou em melhor cobertura do assassinato de ‘Boneco’, em Campo Grande. Parecer sobre reação da ex-companheira do vitimado sobre sua morte foi a cereja do bolo das respectivas matérias sobre o fato.

FAMOSO QUEM – No país das liminares, segue tudo como dantes no quartel de Abrantes, em Dourados. TV Morena continua informando aos eleitores da cidade e região, tudo sobre os currículos de candidatos a vereadores de Ponta Porã.

DO CACETA – Houvesse boa vontade, a emissora poderia valer-se do velho sistema da casseteira e tudo estaria resolvido. No chamado ‘horário cheio’, apenas candidatos majoritários têm vez. Nas inserções, volta o brinde aos concorrentes à vereança de Ponta Porã.

EDITOR CHEFEEntrevista coletiva dos procuradores da Lava Jato foi usada como pauta cheia do ‘Jornal Nacional’, na rede Globo. Edição do ‘day after’ do “sem provas mas, com convicção” foi inteiramente dedicada ao fato.

NÃO É BEM ASSIM – Demonstrando que tem lado – e qual é o mesmo –, Willian Bonner editou falação esclarecendo o ‘verdadeiro teor da fala dos procuradores’. Sempre entremeado com valorosos minutos de imagens da desnecessária entrevista.

DIREITA, VOLVER – Reinaldo Azevedo, Marco Antonio Villa, Alexandre Garcia deitam e rolam na opinião de uma direção só. Rádio ‘Jovem Pan’, de São Paulo, e rede Globo esnobam a importância da pluralidade de opinião. Dane-se a inteligência de telespectadores e ouvintes. Ao poder, tudo; aos sem-poderes, a lei. Simples assim.

NULO – Poucos –ou nenhum – ouvintes valem-se do WathsApp da FM Capital para opinar sobre a fala diária de Alexandre Garcia. Malhar o PT, Lula e companhia é o café da manhã diário do raivoso jornalista da Rede Globo. Há ouvintes que gostem de falas previsíveis.

Na internet, grupo Acaba tem audiência cativa
MIOPIA – 66 curtidas, dez comentários, oito compartilhamentos no Facebook, incontáveis visualizações neste site Campo Grande News. Nota da coluna sob...
Grupo Acaba vive, mesmo fora da mídia
ESTAMOS JUNTOS – Mesmo ausente da grade musical da maioria de emissoras de rádios e retransmissoras de TVs locais, o Grupo Acaba vive –e sobrevive-. ...
Música regional de MS é atração rara nas emissoras locais
ESTRELAS FAZEM SINAL – Paulo Simões, Geraldo Roca, autores da música 'Trem do Pantanal', considerada hino não oficial de MS, não têm o destaque merec...
Só um 'não' ao ouvinte pode tirar rádio da mesmice
LINHA FECHADA – Quando é preciso dizer ‘não’. Difusora AM também abre espaço para atendimento de pedidos musicais dos ouvintes. Perigo à vista; maior...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions