ACOMPANHE-NOS    
SETEMBRO, SÁBADO  19    CAMPO GRANDE 31º

Em Pauta

A longa história do embranquecimento de Jesus

Por Mário Sérgio Lorenzetto | 13/08/2020 07:00
Campo Grande News - Conteúdo de Verdade
O Jesus histórico provavelmente tinha a pele, olhos e cabelos escuros. As chances dele ser um branco são praticamente nulas. Mas ninguém sabe como Jesus era. Não há imagens de Jesus durante sua vida. Sua primeiras imagens são datadas de um espaço temporal entre 100 e 300 anos depois dele ser levado à crucificação. Tempo demais para que alguém escrevesse ou pintasse sua imagem real. É bem provável que a primeira imagem seja a do "Bom Pastor", uma figura jovem e sem barba, baseada nas representações pagãs de Orfeu, Hermes e Apolo.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade
Os auto-retratos de Cristo.

Entre os séculos IV e VII há pouco a ser estudado. Há imagens de um Cristo barbudo, cabeludo e maduro, com estilo sírio, combinava as características muito populares, na época, de Sansão. Mas a imagem mais famosa de Jesus é de seu "auto-retrato". Seria uma imagem não feita por mãos humanas. Essa crença se originou no século VII. A base era a ideia de que Cristo curou o rei Abgar de Edessa, na atual Turquia, através de uma imagem milagrosa de seu rosto, agora conhecida como Mandylion. Essa imagem está na base da "verdadeira imagem de Cristo". Um Cristo barbudo, com cabelos escuros na altura dos ombros.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade
Cristo sou eu.

Por volta do século XV, um pintor siciliano, de nome Antonello da Messina, fez fama com uma ideia inusitada. Pintava pequenas imagens do sofrimento de Cristo usando o retrato de pessoas comuns que as encomendavam. É um movimento artístico que ficou conhecido como "Antonello da Messina me pintou" ou "Cristo sou eu". Incrível, não foi perseguido pela igreja, nem considerado herético.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade
Os Cristos brancos europeus.

Há muita discordância, mas é provável que o primeiro Cristo branco europeu tenha sido pintado pelo alemão Albercht Durer. Na verdade é um famoso auto-retrato de 1.500. Ele se pintou como um ícone religioso, barba e cabelo na altura dos ombros. O monograma "AD" que aparece é "Anno Domini" (ano do Senhor). Esperto, Durer quando vendia essa tela afirmava que era de Cristo. Quando inquirido pela igreja, dizia que AD significa tão somente Albercht Durer.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade
A "Adoração do Magos".

Quem cumpriu um papel especial no embranquecimento de Cristo foi o italiano Andrea Mantegna. Em 1.505 pintou a "Adoração dos Magos". Um  bebê Cristo muito branco surgia no meio de um africano, um oriental e um asiático. Sem dúvida, é uma das mais importantes figuras de um Cristo embranquecido. Uma ousadia que fez a fama de Mantegna. Cristo passa a ter a pele clara e os olhos azuis. As forças anti-semitas europeias começavam a ganhar espaço. Jesus deixava de ser um judeu.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade
A imagem de Cristo mais vendida de todos os tempos.

A imagem mais reproduzida de todos os tempos é "A Cabeça de Cristo", criada por Warner Salmann, em 1.940. Cristo tem olhos e cabelos claros. Salmann, um artista publicitário, comercializou essa imagem no mundo todo. Através da parceria com duas editoras cristãs - uma protestante e outra católica - a "Cabeça de Cristo" passou a ser incluída em tudo, desde cartões de orações a vitrais, de pinturas a óleos, calendários, hinários... o Cristo branco virou pop. Com o novo movimento anti-racista, a imagem palestina de Cristo volta a ser adotada nos Estados Unidos e Europa.

Campo Grande News - Conteúdo de Verdade