ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
ABRIL, SEXTA  19    CAMPO GRANDE 29º

Em Pauta

Amazonas, primeiro negro e Pão de Açúcar, as lendas pantaneiras

Por Mário Sérgio Lorenzetto | 18/02/2024 07:00
Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Nem só de um português chamado Garcia ou "cristão Garcia", como tratavam inicialmente Aleixo Garcia, vive o mundo fantasioso dos primórdios pantaneiro. Há muito mais. Conforme esses mesmos fabricantes de lendas, encontraram as Amazonas, o primeiro negro que teria chegado no Mato Grosso do Sul e, o mais risível de todos: o Pão de Açúcar estava no território pantaneiro.


Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

À procura das Amazonas.

A lenda das Amazonas, oriunda da Antiguidade e que, fora renovado por Colombo, ganhou força na América do Sul e foi procurada incessantemente pelos espanhóis no Pantanal, Colombo deu o pontapé inicial. Escreveu que uma das ilhas caribenhas - hoje chamada de Martinica - era a das Amazonas. Por estas bandas, essas mulheres lendárias aparecem no Pantanal pelo menos em três livros da época que os primeiros espanhóis chegaram nestas terras. Que belo mundo. Além de viverem em Assunção com pelo menos dez mulheres guaranis para cada espanhol, queriam mais.... Queriam haréns. Mas são bem mais amenos quando da criação da lenda de Aleixo Garcia, quando se apresentam desejosos de guerras.


Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

Pacheco, o primeiro negro a chegar no Pantanal.

"E traziam consigo um mulato que se chamava Pacheco, o qual voltou à terra de Guazani, e o mesmo Guazani o matou ali..." Esse pequeno trecho que narra o nascedouro da lenda de Aleixo Garcia trás essa outra criação imaginária. É uma cópia fiel do périplo de Estevanico, o negro que comprovadamente acompanhou Cabeza de Vaca pela imensa região na fronteira do atual Estados Unidos com o México. Pacheco é apenas uma lenda.


Campo Grande News - Conteúdo de Verdade

O Pão de Açúcar mora aqui.

Para entender essa lenda é necessário saber que na Idade Media não existia açúcar em pó e vendido em saquinhos. O açúcar era fabricado e vendido na forma de um cone e era muito duro, como um pão daquele período. Decorre dai a ideia de Pão de Açúcar. E esse foi um dos nomes que a montanha de prata de Potosi recebeu (o nome correto era "Porco") por ter o formato cônico do açúcar. E aí entra a lenda. Essa montanha de prata dos incas, conforme os mesmos criadores espanhóis da lenda de Aleixo Garcia, estaria no Pantanal. Todavia, para ingleses, desse período, o Pão de Açúcar estava no Rio de Janeiro. Desconfio que essa era uma montanha que tinha a rara capacidade de voar..... de Potosi para o Pantanal e deste, para o Rio de Janeiro. Voa Pão de Açúcar. Voa. Aliás, Aleixo Garcia sabia voar?

Nos siga no Google Notícias