A notícia da terra a um clique de você.
 
27/08/2019 07:00

Quando a melancia era branca... e racista

Mário Sérgio Lorenzetto
Quando a melancia era branca... e racista

A primeira novidade é que a melancia não é uma fruta. É uma hortaliça, parente da abóbora. Mas é tão refrescante que Plínio O Velho, o maior historiador e naturalista romano, a chamava em sua "História Natural", de "refrigerant maximo". A melancia têm suas raízes não só fincada na terra, mas nas profundezas da história. Essa é uma história bastante desconhecida. Não sabemos sequer de onde veio. Também não sabemos de qual espécie provem. No princípio, era considerada parente dos melões africanos. Mas é outra espécie muito diferente. O que sabemos é que no Antigo Egito já era cultivada. Há imagens de algumas melancias em tumbas faraônicas. Também foram encontradas suas sementes no sarcófago de Tutankamon. É bem provável que eles a cultivassem pela capacidade ímpar de reter a água.

Quando a melancia era branca... e racista
Quando a melancia era branca... e racista

Watermelon, a água encantada branquela.

Se em inglês ela é conhecida como "watermelon" - melão de água - os brasileiros de mais de 90 anos também a chamavam de "água encantada". Isso é porque a água é 90% de sua composição. Ela têm boas propriedades diuréticas que vem sendo descritas desde o antiguidade grega. Egípcios, gregos e israelitas deixaram alguns documentos administrativos que mostraram que a melancia não era vermelha... era branca. E também não eram doces. À cor vermelha da polpa corresponde o mesmo gene que proporciona a dulçura. Mas ninguém sabe quem começou a cultivar essa "nova" melancia, nem onde e nem quando.

Quando a melancia era branca... e racista
Quando a melancia era branca... e racista

As tintas ideológicas da melancia.

Ainda há pouco, o presidente Bolsonaro chamou um general de melancia. Seria verde por fora e vermelho por dentro. Isso mesmo, a melancia tem forte coloração ideológica. A ideia da melancia comunista, disfarçada de capitalista, não é exclusiva do Brasil. Está presente na América Latina e na África.
Nos países anglo-saxões, são os ecosocialistas a serem assim denominados. E a melancia já foi responsabilizada até por uma guerra. Um incidente por um roubo de um talho de melancia motivou uma revolta popular contra os norte americanos, que derivaram na ocupação desse istmo em 1856.

Quando a melancia era branca... e racista
Quando a melancia era branca... e racista

A melancia racista.

É certo que a melancia acompanhou exércitos e conquistadores. E nos Estados Unidos tem um fortíssimo componente racista. No Sul dos EUA, a melancia não podia ser cultivada por negros escravizados. Essa proibição levou os racistas atuais a cultivar a ideia de que os negros têm um apetite "desaforado" por ela. Durante as campanhas presidenciais de Obama, apareciam memes na internet e cartazes mostrando Obama "devorando loucamente" pedaços de melancia.

imagem transparente
Busca

Classificados


Copyright © 2019 - Campo Grande News - Todos os direitos reservados.