A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 28 de Fevereiro de 2017


  • Finanças & Investimentos
  • Finanças & Investimentos

    Emanuel Steffen - www.mayel.com.br


06/07/2016 10:32

O emprego tradicional acabou?

Por Emanuel Gutierrez Steffen (*)

O atual momento econômico que o Brasil enfrenta tem atingindo diversos segmentos e gerado muito desemprego. Segundo Andrea Deis, especialista em gestão de carreiras, o trabalho é o que fará com que as pessoas sobrevivam no mercado neste período de crise.Ela afirma que é necessário que o profissional não busque apenas um bom emprego com salário e benefícios, mas um trabalho que valorize o seu talento natural. “Também é preciso ter mais apego à própria carreira do que à segurança e estabilidade”, diz.

De acordo com Andrea, tempos atrás, o emprego bom era aquele que perdurava pelo maior tempo possível, com um salário que suprisse as necessidades básicas e a maior “segurança” possível (CLT). Uma empresa e/ou indústria tradicional era o sonho de consumo de um profissional.

Já hoje, com a mudança dos preceitos de vida da geração atual na era da informação, muda-se também a maneira de enxergar o emprego. Antes o que era segurança agora é bem-estar.“Não basta um bom emprego com salário e benefícios, tem que proporcionar prazer e reconhecimento”, ressalta Andrea. A especialista também cita que os “workaholics”, antes vistos com bons olhos, agora são percebidos até como ineficientes em muitos casos.

Emprego X Trabalho - Apesar de ambas palavras serem utilizadas para designar ofício, elas apresentam aspectos práticos distintos. Enquanto o trabalho está ligado a objetivos e realizações profissionais, o emprego designa basicamente uma forma de adquirir renda.

Segundo o coach José Roberto Marques, o trabalho tem relação direta com o estilo de vida do indivíduo, em quem ele é ou deseja se tornar. Está pautado em projetos, metas, objetivos e sonhos. “Trabalho vai além da necessidade financeira, trata-se de um caminho para a realização”, diz.Já o emprego é uma atividade alienada em que o profissional atua por mera necessidade financeira, distante de algum tipo de apreciação. “Todos nós já passamos por essa experiência, seja pelo fato de ser a primeira colocação no mercado, ou por ainda não ter descoberto a própria paixão, o que verdadeiramente está conectado com suas motivações e convicções mais autênticas”, afirma.

Para Marques, quando a busca é somente pela estabilidade financeira, a chance de acabar infeliz realizando tarefas que não trazem satisfação pessoal e profissional é muito grande. “O resultado é estagnação na sua carreira e até mesmo em sua vida”, avalia.Já quando você tem um trabalho, esse cenário muda totalmente. Bem como já dizia Max Weber, “o trabalho enobrece o homem”, o que ressalta a diferença entre trabalho e emprego.

“Nessa perspectiva, a atuação profissional está atrelada à existência do indivíduo, mais profundamente falando, à construção do seu legado. Por isso é determinante para a plenitude do indivíduo, visto que é uma forma dele se autoconhecer, para identificar e esclarecer o sentido de sua vida”, explica José Roberto.

Para Andrea Deis, o mais importante é sentir amor e ter prazer no que faz.“Cumprir tarefas qualquer um cumpre. Criar, desenvolver, inovar, reinventar somente os apaixonados pela profissão conseguem. Só quem ama o que faz consegue enxergar além das obrigações diárias, prever riscos e superar obstáculos. Este é o profissional desejado pelas empresas atualmente, é o profissional que irá sobreviver neste momento de crise”, destaca.

Ela conclui convidando-nos a pensar: “Portanto, faça uma breve reflexão: Quais são os resultados que tenho conquistado nos últimos anos? Me satisfaz por completo? Sou reconhecido? É gratificante? Faço com prazer? Se você tem dúvida sobre uma das perguntas, talvez seja melhor refletir se tem trabalhado ou apenas está empregado”.

Fonte: Isabella Abreu/dinheirama.com.br
Disclaimer – A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de produtos de investimentos. Antes de começar a operar no SFN - Sistema Financeiro Nacional o leitor deverá aprofundar seus conhecimentos, buscando auxílio de profissionais habilitados para análise de seu perfil específico. Portanto, fica o autor isento de qualquer responsabilidade pelos atos cometidos de terceiros e suas consequências.

(*) Emanuel Gutierrez Steffen é criador do portal www.mayel.com.br

Quanto devo poupar ou gastar? Essa é a questão
Uma das grandes perguntas que temos na vida é essa. Ser um perdulário e gastar desenfreadamente vivendo só o agora ou ser um avarento e economizar o ...
Tenha mais qualidade de vida hoje e sempre
Estamos vivendo 30 anos ou mais do que nossos avós e bisavós, mas seguimos aposentando com mais ou menos 60 anos. Devemos mudar o papel dos 50 ou 60 ...
Filhos ricos? Pratique a educação financeira agora
Algumas histórias são tão simbólicas que passam despercebidas diante dos olhos de muita gente. Suas lições, no entanto, são razão para profundas refl...
5 orientações para utilizar seu saldo do FGTS
Recentemente, o Governo Federal anunciou que irá autorizar o saque de contas inativas do FGTS, aquelas que não recebem mais depósitos desde dezembro ...



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions