A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 11 de Dezembro de 2018


  • Finanças & Investimentos
  • Finanças & Investimentos

    Emanuel Steffen - www.mayel.com.br


15/05/2017 08:28

Persista em eliminar dívidas!

Por Emanuel Gutierrez Steffen (*)

Em tempos de desemprego lá em cima e poucas oportunidades para sair da crise, é normal que as dívidas se acumulem e os boletos amontoem-se em cima da mesa. A boa notícia é que é possível sair dessa situação!

Com um pouco de esforço e um bom planejamento financeiro, você vai voltar a ficar com o saldo positivo na conta e ainda conseguir investir para o futuro. Resumi os seis passos essenciais para sair das dívidas e poupar para investir. Talvez você já pratique alguns, mas rever esses ensinamentos pode ser uma boa motivação, principalmente o passo número 5.

1. Anote as suas despesas e receitas mensais
Você pode usar o meio que preferir para anotar os seus gastos e ganhos por mês, como um caderno, aplicativos de celular ou uma planilha eletrônica. O importante é anotar tudo e dividir em categorias, por exemplo: supermercado, restaurante, escola dos filhos, faculdade, plano de saúde, combustível do carro e etc.

Do mesmo jeito com suas receitas, por exemplo: salário, renda de investimentos, aluguel de imóveis, pensão e etc. Separe as despesas em fixas e variáveis, ou seja, aquelas contas que não tem como fugir e as compras que você pode escolher fazer ou não, sem afetar a sua qualidade de vida.

2. Avalie e reduza os excessos
Com suas despesas anotadas, chegou a hora de identificar os maiores gastos e os supérfluos. Muitas vezes eles serão encontrados dentro da sua casa, como a conta de luz e de telefone. Para economizar na energia elétrica você pode tomar uma ducha mais rápida, evitar deixar as luzes acesas em ambientes onde não há ninguém e desligar os aparelhos que ficam em stand-by, por exemplo.

A televisão ou o videogame quando desligam e continuam com uma luz acesa, já viu? Remova-os da tomada. E na conta de telefone consegue-se, em muitos casos, renegociar o valor do pacote de internet ou minutos. Na minha casa, por exemplo, consegui pagar menos e ter uma velocidade maior apenas pedindo uma revisão do pacote do qual sou cliente faz anos.

3. Planejamento Financeiro
Nesse passo uma planilha pode ajudar bastante e já escrevemos algumas dicas para criar um bom planejamento financeiro. Preencha a planilha ou o caderno, se preferir, com as suas despesas fixas do ano inteiro. E nesse mesmo espaço, aproveite para marcar as datas comemorativas onde gastamos um pouco mais, como dia das mães, dia dos namorados, aniversários, Páscoa, Natal e o que mais lembrar. Ah, não se esqueça dos impostos e taxas: IPVA, DPVAT e IPTU. Ao lado de cada despesa informe o quanto espera gastar, mesmo que mude ao longo do tempo, mas para que consiga programar-se e evitar novas dívidas.

4. Evite comprar por impulso
Eu sei que não é fácil, ainda mais quando tem um vendedor na sua cola, mas sempre se pergunte:
● Pagando a prazo, a parcela entra no orçamento?
● É mais vantajoso pagar à vista e pedir um desconto?
● Eu realmente preciso comprar isso?
● Posso esperar para comprar?

As respostas vão surpreender e trazer você para a realidade, evitando a compra impulsiva e conseguir guardar seu dinheiro.

5. Faça metas
Não subestime o poder do objetivo. Quando você estabelece metas, cria-se um compromisso consigo. É melhor ainda envolver a família e criarem objetivos juntos para motivá-los a seguir o plano financeiro, sobrando mais dinheiro e fazendo sentido para todos investirem ao seu lado. Quando estamos juntos de pessoas com um propósito em comum, torna-se fácil conquistar metas e manter-se fiel aos nossos objetivos. Uma dica é anotar essas metas em uma cartolina ou quadro e deixar em um lugar que todos da casa vejam, assim vão sempre lembrar-se e cobrar uns aos outros.

6. Pague a si mesmo primeiro
Pode soar estranho esse passo, porém funciona e você vai surpreender-se com o resultado dessa prática. Não precisa esperar o final do mês para ver o quanto sobrou na conta e só então investir. A melhor forma de começar a investir é separar uma parte do salário logo que cair na conta e transferir para uma aplicação, em um banco ou corretora de valores. Desse jeito você vai precisar adequar as suas dívidas ao salário que sobrar, forçando um novo estilo de vida com mais responsabilidade e investindo para alcançar suas metas.

Conclusão - Quando fazemos dos investimentos um hábito, passamos a ter uma visão diferente.

Os sonhos tornam-se realistas e alcançáveis, podemos traçar cada vez mais metas e comemorar com aqueles com quem nos importamos. Esses passos são eficientes e só você pode iniciar uma mudança de verdade em sua vida, escolhendo dar o primeiro passo e mantendo a disciplina. Mudar não é fácil e nem tampouco divertido, mas quando a nossa situação não está agradável, ficar parado e de braços cruzados é a pior maneira de tentar sair desse cenário.

Fonte: Bruno Papi\ Dinheirama.com Disclaimer: A informação contida nestes artigos, ou em qualquer outra publicação relacionada com o nome do autor, não constitui orientação direta ou indicação de produtos de investimentos. Antes de começar a operar no SFN - Sistema Financeiro Nacional o leitor deverá aprofundar seus conhecimentos, buscando auxílio de profissionais habilitados para análise de seu perfil específico. Portanto, fica o autor isento de qualquer responsabilidade pelos atos cometidos de terceiros e suas consequências.

(*) Emanuel Gutierrez Steffen é criador do portal www.mayel.com.br

13º salário: 6 dicas para usar de forma sábia o dinheiro extra!
Esta época do ano é uma das preferidas dos comerciantes e também de quem ganha o 13º salário. Fica fácil, inclusive, perceber a alegria estampada nos...
12 decisões financeiras para 2019
Em breve começa dezembro e todos aqueles artigos falando sobre metas, sonhos, e o que conseguimos ou não fazer ao longo do ano que passou, não é verd...
O outro lado do consumismo e as maravilhas do capitalismo
Ser contra o comércio é ser contra a própria vida. A importância da poupança, da frugalidade e da prudência é inquestionável, pois estes são alguns d...
Qual a diferença entre globalismo e globalização econômica
Globalismo e globalização econômica: um é o oposto do outro. Defender o segundo não implica defender o primeiro. Com a ascensão do populismo nos país...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions