ACOMPANHE-NOS    
JULHO, SEXTA  30    CAMPO GRANDE 21º

Festas e Eventos TV

Medicina de longevidade é a nova forma de olhar para a saúde

Por José Marques - Conteúdo de Marca | 13/07/2021 07:45
Dra. Isabel Gehling, que atua em medicina preventiva e de longevidade do Instituto IJOM (Foto: Divulgação)
Dra. Isabel Gehling, que atua em medicina preventiva e de longevidade do Instituto IJOM (Foto: Divulgação)

Cuidar da saúde é algo que há tempos vem sendo tratado, ainda mais atualmente com as inúmeras mudanças de rotina, por conta da pandemia de Covid-19 que se instalou no mundo todo, porém não é somente em momentos de doença, ou quando passa-se a ter algum sintoma ou outro que devemos buscar profissionais de saúde. O ideal é cuidar do corpo e da mente, para que a doença não chegue a se manifestar, e é para isso que a medicina da longevidade vem surgindo.

Quanto mais cedo olharmos para o modo como vivemos, como nos alimentamos, dormimos e fazemos exercícios, menos dificuldades teremos no futuro, vivendo uma velhice saudável, já que o que mais acomete idosos é a perda de algumas funções, que poderiam ser evitadas se prevenidas a tempo, os limitando, fazendo-se necessário o auxílio de terceiros para atividades básicas.

A Dra. Isabel Gehling, que atua em medicina preventiva e de longevidade do Instituto IJOM, expõe a importância de ficar atento às mudanças pelas quais o corpo passa, buscando sempre mudar alguns hábitos não saudáveis, como padrões de alimentação e a falta de exercícios físicos, por exemplo.

Ela explica que algumas doenças metabólicas, como hipertensão e diabetes, são programadas no intra útero até as 16 semanas de gestação, ou seja, algumas doenças já possuem pré-disposição a surgirem antes mesmo de nascermos. Porém é possível diminuir o impacto destes padrões, mudando o futuro de certa maneira.

Sendo assim, cada vez mais, é necessário abandonar a ideia de que médicos e profissionais da saúde só devem ser procurados após o surgimento da doença, pelo contrário, a medicina deve ser usada para tratar a saúde, buscando evitar que a doença se instale. Sobre isso a Dra. fala que, “ na hora em que o corpo está com saúde, não há espaço para a doença entrar”, saber como preservar a saúde e que há como evitar certas doenças de maneira mais grave, deve ser um estímulo para que melhoremos nossos padrões e estilos de vida.

As doenças vêm sendo instaladas durante a vida, ninguém acorda doente, com diabetes, hipertensão ou outros problemas de saúde que podem ser evitados. Através de exames, observação de hábitos e até mesmo suplementação, a Dra. Isabel, amparada pela medicina de longevidade, busca levar uma melhoria na qualidade de vida de seus pacientes que chegam, em sua maioria, com queixas de cansaço físico e emocional, levados principalmente pelas circunstâncias na qual o mundo se encontra.

Com tratamentos individualizados e totalmente personalizados, aqueles que procuram a Dra. podem ver resultados após 02 ou 03 meses de tratamento, que não tem idade para começar, com suplementações voltadas para o que cada um necessita, já que cada um demanda cuidados e tratamentos diferenciados, levando em conta não somente o que os exames dizem, mas também o que o corpo e a mente do paciente pedem.

A médica de longevidade conta que se, desde a infância, se mantém bons hábitos de saúde, dormindo bem, se alimentando com qualidade, realizando atividades ao ar livre, tendo lazer e tempo de qualidade, vai se construindo a saúde para que a doença não chegue, e se chegar, não se agrave, ou seja, a saúde se constrói.

A Dra. Isabel Gehling, atende no Instituto IJOM, que fica localizado na Rua Patagônia, 355, no bairro Jardim Bela Vista, em Campo Grande (veja como chegar).

É possível entrar em contato pelo telefone e WhatsApp (67) 9881-2105 (chame aqui), acessando as redes sociais do IJOM, no Instagram e no Facebook e o site  www.ijom.com.br.

Nos siga no Google Notícias