A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

04/02/2014 16:18

Bernal cobra R$ 556 de IPTU de "mulher pobre" isenta por 16 anos

Zana Zaidan
Dona Hilda nunca pagou IPTU, e neste ano recebeu um carnê de R$ 556 (Foto: Cleber Gellio)Dona Hilda nunca pagou IPTU, e neste ano recebeu um carnê de R$ 556 (Foto: Cleber Gellio)

Moradora há 16 anos da rua dos Pássaros, no Bairro Bom Jardim, a dona-de-casa Hilda Burema, 61 anos, segue o mesmo ritual todos os dias: acorda cedo, “quando o sol nasce”, e, por recomendações médicas, sai para caminhar na marginal Lagoa. “Vou de manhã, porque no fim da tarde já fica perigoso, escurece e não tem iluminação”, explica.

Uma manhã de quarta-feira, conta dona Hilda, começou com uma surpresa. Na caixa de correio, um boleto de R$ 556,64, de cobrança do IPTU. Antes da posse do prefeito Alcides Bernal (PP), ela não pagava pelo tributo. 

“Sempre fui isenta, sempre. Desde que minha mãe era viva e a casa era dela, nunca pagamos um real do imposto”, afirma. O sentimento da dona-de-casa é de incredulidade. “Como alguém que nunca pagou, de repente recebe em casa um conta cara dessas?”, questiona.

Com renda mensal de R$ 150, ela foi orientada por um vizinho a contestar o valor na Central de Atendimento do IPTU pedir a revisão de valores. “Antes era costureira, mas estou com um problema nos punhos e passo meus dias limpando a casa e cozinhando. Se nem quando era jovem e trabalhava tinha condições de pagar, imagine hoje”, conta, dona Hilda, que sobrevive do aluguel de um “barraco” nos fundos do imóvel, deixado pela mãe. Divididas em 10 vezes, as parcelas do IPTU sairiam por R$ 80,55, conforme consta no carnê. “O que ganho é para pagar luz, água e comer. Mal vou acabar de pagar o de 2014, já vai chegar o de 2015. Não tenho como viver assim daqui para frente”, preocupa-se.

A rua foi asfaltada há cerca de oito anos, recorda-se, e o imposto não foi cobrado. Hoje, parte do bairro está mal iluminada, e há tempos terrenos vazios não são limpos, conta.

 

Eronildes recebeu o carnê de um terreno que não existe (Foto: Cleber Gellio)Eronildes recebeu o carnê de um terreno que não existe (Foto: Cleber Gellio)

Terreno que não existe - Há seis dias do vencimento da primeira parcela do imposto, contribuintes com casos semelhantes aos de dona Hilda lotam a central no Paço Municipal. Todos revoltados com o aumento injustificado. O aposentado Eronildes Santos de Oliveira, 70 anos, reclama que há dois anos recebe carnês de um terreno “que não existe mais”.

Ele era proprietário de um imóvel na rua Sargento Florio Alcebíades Brandão, no Jardim Antartica, desapropriado para implantação da avenida Lúdio Coelho. “Já recebi até R$ 17 mil de indenização, mas na prefeitura consta que está no meu nome e continuam cobrando IPTU”.

São três carnês, um de 2012, que com juros e multa já chega a R$ 831,09 um de 2013, R$ 388,51, e o deste ano, de R$ 234,02. “Sabe o que eles dizem quando venho aqui? Que não tem problema, é só eu não pagar e nada vai acontecer. Como, se está no meu nome e correndo esses juros?”, indigna-se. Sem respostas, ele pretende recorrer a um advogado e acionar a prefeitura judicialmente.

Juliana foi reclamar com o marido por ser a única da rua a pagar taxa de asfalto (Foto: Cleber Gellio)Juliana foi reclamar com o marido por ser a única da rua a pagar taxa de asfalto (Foto: Cleber Gellio)

A diarista Juliana Cristina Riedo, 30 anos, foi com o marido entender porque ela foi a única moradora da rua a pagar taxa de asfalto, no Taquaral Bosque. “Passaram asfalto há quatro anos, quando deixamos de ser isentos, mas nunca veio essa taxa discriminada. O de 2014, chegou com essa cobrança, e ninguém da rua pagou”, estranha. A diarista não se recorda o valor exato pago no ano passado, “era uns cento e poucos”, mas o carnê deste ano chegou a R$ 331,19.

Mesma dúvida da dona-de-casa Fátima da Silva, 50 anos, que sempre fez questão de pagar o IPTU à vista para ter desconto. “Não entendi nada do porque ficou mais caro. Só sei que paguei para não correr juros”, comenta.

Como contestar – Quem discorda do valor do IPTU tem até o dia 10 de março para solicitar a revisão de valores, conforme a prefeitura. O contribuinte deve pagar a primeira parcela (que vence no dia 10 de fevereiro), caso contrário, juros e multas correm mesmo que o valor cobrado esteja incorreto.

A solicitação deve ser feita pessoalmente na central de atendimento do IPTU, ao lado do Paço Municipal, na rua Arthur Jorge.

A partir do pedido, um fiscal da prefeitura vai até o imóvel refazer a avaliação e, conforme o fluxo de processos, são pedidos de 30 a 60 dias para que o contribuinte receba um retorno.

Contribuintes lotaram central de atendimentos, maior parte com dúvidas sobre o aumento (Foto: Cleber Gellio)Contribuintes lotaram central de atendimentos, maior parte com dúvidas sobre o aumento (Foto: Cleber Gellio)


Que lindo, eles jogam sabe que muitos não têm tempo de ir reclamar, então eles levam de graça nas costas dos outros, e os senhores vereadores que não fizeram nada no ano de 2013, tem a cara de pau de dizer que não podem fazer nada, que cada um cuide doque é seu, faça me o favor senhores vereadores tenham vergonha na cara e nunca mais se candidatem, aliás meu voto para ninguém, nunca mais.
 
marco silva em 05/02/2014 09:50:22
que bernal ?? a culpa e de quem lança o IPTU .
Daqui a pouco o bernal que ta entregando os IPTU tambem.
 
erica souza em 05/02/2014 09:27:23
Deixa o "HOMEM" trabalhar, gente!!!!
 
Idamir Franco em 05/02/2014 09:08:54
Me desculpem mas tenho certeza de que o Bernal não vê caso a caso, o problema é a equipe de pessoas altamente qualificadas que ele deve ter colocado para cuidar do IPTU que dá umas "orelhadas" destas e cobra de quem não deveria cobrar, mas acho até normal acontecer alguns casos assim, sem falar que é bom por causa de fraude, se a mulher é tão debilitada e idosa, ela pode vir a falecer e a familia continuar usufruindo das vantagens da senhora.
 
maximiliano rodrigo antonio nahas em 05/02/2014 08:14:37
Quem vai votar no Bernal daqui a 3 anos levanta a mão!!!
 
Sergio Arantes em 05/02/2014 08:06:33
Que vergonha. Os pobres votaram nele e agora estão recebendo os presentes. Sem falar nas entidades, que são declaradas de utilidade pública e receberam o IPTU tem.
 
Luis Pedro em 05/02/2014 07:49:13
isso e que da vota em pessoas que nao conhece a cidade vota so prque o cara tem uma voz bonita temos de vota em pssoas compromissadas a nossa com nossa cidade

 
Candido Ferreira de Souza em 05/02/2014 00:40:40
"as pessoas em primeiro lugar" . Nossa esse slogan foi o pior escolhido por esse prefeito, esta querendo tirar ate daqueles que quase não tem nada a oferecer. Cobrar de pessoas que a anos são isentas por constar baixa renda. Cade os bernadetes de plantão, pedindo para deixar o homem trabalhar. O povo humilde que confiou nesse radialista hoje pena em suas mas. Fazer o que deixa o homem trabalhar cobrando absurdos do povo e nao oferecendo nenhum beneficio ja que a cidade esta abandonada, suja cheia de buracos. Olhas nossas praças. "Deixa o homem trabalhar" Piada....
 
Julia Cardoso em 04/02/2014 21:15:08
Para melhorar a situação caótica da bela "cidade morena", reelejam o atual prefeito. Todos que votaram nele queriam mudanças e ele está sendo perfeito neste quesito. Eu aqui em Natal fico só lendo as notícias das barbaridades praticadas em Campo Grande. É uma lástima. Ainda bem que não sou aposentada pela Prefeitura e sim pelo Estado, que diga-se de passagem, paga sempre em dia desde a entrada do atual governador. Espero que o próximo cumpra com esse compromisso.
 
Alzira da Silva Andrade em 04/02/2014 21:13:53
Nao entendo, ela esta achando que esta incorreto, mas duvido que ela venderia essa casa por menos de 120.000 , nesse caso deveria pagar 1200, sem falar que deveria pagar o retroativo tambem, seria mais que justo.
 
Emerson Oliveira em 04/02/2014 18:59:41
Queria só fazer uma pergunta a estas pessoas. Em quem votaram. Brasileiro é assim só toma opinião na época das eleições e se ilude com o primeiro salvador da pátria que aparece.
Se votaram no radialista, assistencialista, salvador da pátria, não podem reclamar, pois na verdade ele não esta mentindo quando disse que iria fazer mudanças, que as pessoas em primeiro lugar. Acho que até que esta certo em cobrar o IPTU de todo mundo.
Deixa o homem trabalhar gente.
Aliás, como o povo dizia nas eleições..."se ele não der certo agente muda",só que os idiotas esquecem que são 4 longos anos. Povo sem cultura, povo manipulável.
 
Olavo de Carvalho em 04/02/2014 18:39:03
" As pessoas em primeiro lugar "... foram eleger isso aí... agora aguenta, pois a cidade ta um caos...toda suja, cheia de mato, parece a mata atlantica, pra onde olha é só mato...sem contar que parece que ando de carro na lua, cheio de cratera o asfalto.... é meu povo ! E ainda faltam 3 anos pra penarmos no 11 !
 
Cezar Junior em 04/02/2014 18:17:43
Cada coisa que lemos aqui e nunca visto antes quando era do reinado. Se toda pessoa pobre não pagasse imposto, seria até bom; mas também não poderia se beneficia de nada. Ninguém recebe salário antes de trabalhar. O certo seria acabar com esse imposto, mas a culpa não é de nenhum Executivo e sim do Legislativo.
 
luiz alves em 04/02/2014 18:17:20
será que ela queria mudança votando no bernal??????
 
ely monteiro em 04/02/2014 18:10:08
e simples... vamos...... todos dar o calote esse ano no iptu ai eu quero ver o bernalllllllllllll ficar brabo ......eu nao vou pagar...vamos
 
neverton abdalla em 04/02/2014 18:04:40
Como assim? 160,00 é o valor do aluguel que ela cobra? Gostaria de saber qto vem de água, luz e quanto ela gasta com comida, e quando acaba o gás? Ela tem 61 anos, sobrevive com apenas 160,00? Muito estranho. Deve ter caroço nesse angu da dona Hilda. Algo que talvez a antiga administração não viu e que nesta atual viram...
 
geferson cabral em 04/02/2014 17:58:06
viu, para vcs que votaram nesse cara ai que atende pela alcunha de BERNAL, é uma pessoa de 2 cara.
 
evanildo de jesus oliveira em 04/02/2014 17:29:58
E o Ministerio Publico não faz nada ...
 
maximiliano rodrigo antonio nahas em 04/02/2014 17:19:40
Pessoal, de onde vocês pensam que vem o dinheiro para a Prefeitura fazer obras, escolas, material escolar, etc? Não foi o Bernal que cobrou, ele sequer conhece essas pessoas. O sistema da Prefeitura que é o responsável pela confecção dos carnês. Além disso, não é a renda da pessoa que determina o valor do imposto e sim o imóvel que possui. A pessoa mora no fim do mundo, a cidade cresce e absorve o bairro: vai ter que pagar imposto!
 
João Dias em 04/02/2014 17:13:00
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions