ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, SEXTA  19    CAMPO GRANDE 22º

Economia

Capital tem 3ª maior alta da cesta básica e batata é “vilã” com variação de 122%

O valor foi de R$ 748,48, total que corresponde a 57% do salário-mínimo

Por Aline dos Santos | 06/06/2024 10:48
Batata à venda em supermercado de Campo Grande. (Foto: Geniffer Rafaela)
Batata à venda em supermercado de Campo Grande. (Foto: Geniffer Rafaela)

Campo Grande foi a terceira capital brasileira com a maior alta no custo da cesta básica entre abril e maio de 2024. No período de 12 meses (um ano), a batata foi o item com maior variação: 122%.

De acordo com o Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos), o valor do conjunto dos alimentos básicos aumentou em 11 das 17 capitais verificadas na Pesquisa Nacional da Cesta Básica de Alimentos.

Entre abril e maio, maiores elevações foram em Porto Alegre (3,33%), Florianópolis (2,50%), Campo Grande (2,15%) e Curitiba (2,04%). Já as quedas mais importantes foram registradas em Belo Horizonte (-2,71%) e Salvador (-2,67%).

Em Campo Grande, o valor da cesta foi de R$ 748,48, que corresponde a 57% do salário-mínimo (R$ 1.412). Desta forma, são 116 horas de trabalho para garantir a alimentação básica do trabalhador.

Em maio de 2024, o salário-mínimo necessário para a manutenção de uma família de quatro pessoas deveria ter sido de R$ 2.245,44 na Capital.

Custo da cesta básica em 17 capitais. (Fonte: Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos)
Custo da cesta básica em 17 capitais. (Fonte: Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos)

As batatas - O valor do quilo da batata subiu em todas as capitais. Em 12 meses, todas tiveram elevação de preço, com destaque para Campo Grande, onde a variação foi de 122,89%. O aumento nos preços da batata foi consequência da baixa oferta nacional.

“No intervalo de um ano, o quilo do tubérculo passou de um preço médio de R$ 4,50 para R$ 10,03, variação de 122,89% - a maior registrada entre as capitais pesquisada”, destaca o Dieese.

O arroz agulhinha, a carne bovina e o óleo de soja foram outros alimentos a registrar alta nos preços. O valor médio de um quilo do arroz passou de R$ 4,73, em maio de 2023 para R$ 6,31 em maio de 2024.

Os preços de farinha de trigo e pãozinho francês não registraram variação no mês de maio em Campo Grande. A pesquisa verificou redução no preço do feijão carioquinha e da banana nanica.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.


Nos siga no Google Notícias