ACOMPANHE-NOS    
DEZEMBRO, SEXTA  04    CAMPO GRANDE 26º

Economia

Com preço igual ao de mercado, Feira do Pescado começa com grande procura

Por Caroline Maldonado | 31/03/2015 11:42
Juscilene Ferreira Lima, 48 anos, foi uma das primeiras da fila na esperança de economizar nos produtos da ceia da Semana Santa (Foto: Marcelo Calazans)
Juscilene Ferreira Lima, 48 anos, foi uma das primeiras da fila na esperança de economizar nos produtos da ceia da Semana Santa (Foto: Marcelo Calazans)
Pessoal chegou cedo e aguardou na fila (Foto: Marcelo Calazans)
Pessoal chegou cedo e aguardou na fila (Foto: Marcelo Calazans)
O preço está de acordo com o do mercado, defende o superintendente, Celso Benites (Foto: Marcelo Calazans)
O preço está de acordo com o do mercado, defende o superintendente, Celso Benites (Foto: Marcelo Calazans)

A Feira do Pescado, iniciada hoje (31) no estacionamento da Feira Central de Campo Grande, desapontou quem chegou cedo a procura de preços baixos em relação ao dos mercados. Mais de 30 pessoas fizeram fila antes mesmo da feira abrir e alguns até foram embora depois de ver a tabela de preços. Outros, no entanto, levaram em consideração a qualidade das postas e filés de peixe fresco.

A funcionária pública Juscilene Ferreira Lima, 48 anos, foi uma das primeiras da fila na esperança de economizar nos produtos para a Semana Santa. “O preço está o mesmo dos mercados, mas acho que vale a pena comprar por não ser congelado e estar fresquinho, porque um peixe mal condicionado pode até ser prejudicial à saúde. Só que eu vou ao mercado depois, porque não tem peixe inteiro aqui”, comentou.

A feira anunciou que ofereceria também postas de pacu, mas iniciou o atendimento com postas de pintado, a R$ 17,50 e filé de tilápia, a R$ 24,70, além de palmito em posta, a R$ 12,50 e costelinha de tilápia, a R$ 14,50. Cada pessoa pode levar, no máximo, dez quilos.

O aposentado Arabutã Alves Pereira, 63 anos, também esperava preço promocional, mas não desanimou. “Vou levar dois quilos para não perder a viagem, porque acho que o preço está alto, além disso é peixe de cativeiro”, avaliou, ainda na fila.

Até quinta-feira (2) de abril, a feira pretende vender três toneladas, segundo superintendente federal adjunto da Pesca e Aquicultura, Celso Benites, um dos organizadores do evento que está na 13ª edição, em parceria entre UFMS (Universidade Federal de Mato Grosso do Sul), MPA (Ministério da Pesca e Aquicultura), Prefeitura de Campo Grande e Afecetur (Associação da Feira Central e Turismo de Campo Grande).

O preço está de acordo com o do mercado, defende o superintendente. “Fizemos pesquisa e é um peixe limpinho, pronto para ir para mesa. Nos mercados, encontramos filé de tilápia por até R$ 29, por exemplo”, argumentou sobre o pescado que é fornecido por um criadouro de Terenos, a 25 quilômetros da Capital. A proprietária é uma empresária, que tem restaurante na cidade. “O preço está bem atrativo. Além disso, foi feita análise nutricional e é um peixe com baixíssimo nível de gordura, que vai render muito mais depois de cozido”, comentou a produtora Heloísa Moura, lembrando que as postas de pintado à venda no mercado são de peixes bem mais magros.

Festa do Peixe - A feira acontece das 8h30 as 21 horas, até quinta-feira. Já a 8ª Festa do Peixe da Feira Central vai até domingo (5), com pescados regionais e preço abaixo do praticado fora da quaresma, no cardápio dos 28 restaurantes.

Nos siga no Google Notícias
Regras de comentário