ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
FEVEREIRO, SÁBADO  24    CAMPO GRANDE 26º

Economia

Comunicado da Energisa Mato Grosso do Sul

Informe Publicitário | 11/05/2015 07:00

A Energisa Mato Grosso do Sul esclarece à população que, por decisão judicial de 7 de maio de 2015, o Excelentíssimo Senhor Doutor Desembargador Dorival Renato Pavan, do Tribunal de Justiça do Estado do Mato Grosso do Sul, concedeu liminar suspendendo as atividades da CPI batizada de Enersul/Energisa.

Embora em caráter preliminar, a decisão, com 27 folhas, está amplamente fundamentada. Desde que assumiu a concessão, a Energisa vem cumprindo com sua parte, realizando investimentos relevantes no serviço público de distribuição de energia elétrica no Estado, demonstrando forte empenho e compromisso em oferecer um serviço cada vez melhor à população do Estado do Mato Grosso do Sul.

Para a Energisa, a decisão reconhece que a empresa não tem qualquer envolvimento com fatos narrados pela CPI batizada de Enersul/Energisa.

A decisão da Justiça também reforça o posicionamento da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL) de que não houve e não haverá qualquer influência dos fatos investigados na fixação da tarifa de energia para o consumidor do Mato Grosso do Sul. Vale ressaltar que a prestação de serviço público de distribuição de energia elétrica é uma atividade regulada e fiscalizada pela Aneel, que dispõe de instrumentos que permitem calcular o valor justo e adequado da tarifa para todos os consumidores do país. Os índices tarifários atuais estão diretamente relacionados à crise hídrica vivida pelo setor elétrico brasileiro.

A Energisa entende que o seu nome estava sendo associado de forma equivocada a uma investigação que, como destaca a ANEEL e a decisão do Desembargador, não tem relação com o período da sua gestão na concessão pública federal do Estado, que teve início em abril do ano passado.

A Energisa reforça ainda que as investigações dos atos praticados pela antiga gestão da Enersul - que está com seus bens indisponíveis – vêm sendo conduzidas pelas autoridades competentes federais, em especial Aneel, Comissão de Valores Mobiliários (CVM), Polícia Federal, Banco Central e Ministério Público Federal, com base nos dados apurados durante a intervenção da Aneel na empresa.

ENERGISA REFORÇA COMPROMISSO COM O ESTADO

A Energisa é uma empresa centenária, com 110 anos de mercado, reconhecida pela seriedade com que atua e pelo comprometimento com a qualidade dos serviços prestados.

Sua gestão, assim como todas as empresas do setor elétrico, é regulada pela ANEEL e, por ser uma empresa de capital aberto desde 1907, também opera sob fiscalização da Comissão de Valores Mobiliários (CVM).

A aquisição das empresas do Grupo Rede foi realizada após a apresentação de um aprofundado Plano de Recuperação, aprovado na justiça no âmbito da Recuperação Judicial do Grupo REDE, antigo controlador destas empresas, e pela ANEEL. Neste sentido, a Energisa assumiu o compromisso de solucionar questões financeiras e operacionais por meio de aportes de capital e investimentos. Além disso, o negócio foi aprovado pelo Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade).

Em seu primeiro ano de atuação em Mato Grosso do Sul, a Energisa investiu R$ 282 milhões em ações de ampliação do sistema de alta tensão e construção de novas subestações; na ampliação, modernização e reforço do sistema de média e baixa tensão; na ligação de novas unidades consumidoras; no combate a perdas não técnicas e em diversos usos ligados à infraestrutura e melhorias gerais da operação.

Nos siga no Google Notícias