A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quinta-feira, 14 de Dezembro de 2017

08/06/2011 11:13

Conab eleva projeção de safra, mas MS registra queda na produtividade

Vanda Escalante

Produção de grãos cresceu 8,2%, mas Mato Grosso do Sul apresentou a produtividade mais baixa de todo o Centro-Oeste

A Conab (Companhia Nacional de Abastecimento) anunciou nesta quarta-feira (08) novo recorde nos resultados da safra 2010/2011, representando um aumento de 8,2% com relação ao ano anterior.

A previsão é que a safra recorde alcance os 161,5 milhões de toneladas, com cerca de 12,2 milhões de toneladas a mais do que os 149,2 milhões de toneladas do ano anterior. A nova projeção representa um crescimento de 1,25% na produção, ou o equivalente a 2 milhões de toneladas, em comparação ao levantamento realizado em maio.

A área cultivada também deve apresentar crescimento, com um aumento de 3,8%, atingindo 49,2 milhões de hectares, ou 1,82 milhão de hectares a mais em relação ao período 2009/10 (47,4 milhões de ha). De acordo com as informações da Conab, o aumento da área de cultivo do algodão, do feijão 1ª e 2ª safras, da soja e do arroz foram os principais responsáveis pelo crescimento, além da boa influência do clima sobre o desenvolvimento das lavouras.

Soja - Mato Grosso do Sul finalizou a colheita da soja registrando produtividade de 2.860 kg/ha, a mais baixa do Centro-Oeste, quando a expectativa inicial indicava produtividade acima de 3.000 kg/ha. Avaliação técnica da Conab atribui esse resultado às chuvas mais intensas nos meses de fevereiro e março, que causaram transtornos à colheita e perda de qualidade do produto.

No total, a colheita na Região Centro-Oeste, maior produtora de soja do país, foi concluída com resultados positivos, com média de produtividade atingindo 3.125 kg/ha. O Estado de Mato Grosso, que tem a maior área plantada com soja (6,4 milhões de hectares), a média ficou em 3.190 kg/ha.

A produção brasileira de soja está estimada em 74,99 milhões de toneladas, resultado recorde que mantém o ritmo de crescimento das últimas safras. De acordo com o levantamento da Conab, o volume é 9,2%, ou 6,30 milhões de toneladas, superior à produção obtida na safra 2009/10, quando foram colhidas 68,69 milhões de toneladas.

Estoques - De acordo com dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o volume dos estoques de grãos subiu para 22,9 milhões de toneladas no segundo semestre de 2010, frente o mesmo período de 2009. Os resultados da Pesquisa de Estoques indicam um aumento de 3,5% no número de estabelecimentos ativos, na comparação com o primeiro semestre de 2010.

No fim do ano passado, a rede armazenadora de produtos agrícolas contava com 9.092 estabelecimentos ativos, dos quais 43,9% deles na Região Sul, 22,9% na Região Sudeste, 21,6% na Centro-Oeste, 8,3% na Nordeste e 3,3% na região Norte.

A capacidade útil dos armazéns convencionais, estruturais e infláveis somou 78.834.250 metros cúbicos, sendo pouco mais de 70% concentrados nas Regiões Sudeste e Sul. Os armazéns graneleiros e granelizados totalizaram 55.639.166 toneladas de capacidade útil, sendo que a Região Centro-Oeste detinha 49,2% desta capacidade e a Sul, 33,6%.

Os silos para grãos registraram 50.093.522 toneladas de capacidade útil total, detendo a Região Sul 56,6% deste total e as Regiões Centro-Oeste e Sudeste 25,6% e 12,8%, respectivamente.

Os maiores estoques registrados em 31 de dezembro de 2010 foram os de milho em grão (7.879.753 t), trigo em grão (6.026.097 t), soja em grão (4.214.744 t), arroz em casca (2.536.411) e café em grão (1.076.260 t). Comparados com os estoques de 31 de dezembro de 2009, soja, trigo e café cresceram 113,7%, 15,6% e 5,1%, respectivamente, enquanto os estoques de arroz e de milho apresentaram queda de 2,1% e de 24,3%.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions