A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sexta-feira, 15 de Dezembro de 2017

09/01/2012 12:56

Construção civil precisa de três mil operários com urgência na Capital

Fernando da Mata

Pedreiros, carpinteiros, eletricistas, técnicos em hidráulica e serventes estão entre os profissionais que estão em falta

Shopping Bosque dos Ipês é uma das obras que estão absorvendo grande número de operários (Foto: Simão Nogueira)Shopping Bosque dos Ipês é uma das obras que estão absorvendo grande número de operários (Foto: Simão Nogueira)

A construção civil campo-grandense precisa, com urgência, de pelo menos três mil operários. A urgência é tanta que as construtoras estão oferecendo inúmeros benefícios e até faz sorteio de brindes para atrair trabalhadores.

Pedreiros, carpinteiros, eletricistas, técnicos em hidráulica, serventes e meio oficiais estão entre os profissionais que estão em falta.

O presidente da CGTB (Central Geral dos Trabalhadores do Brasil), Samuel da Silva Freitas, afirmou que todos os tipos de empreendimentos estão com escassez de mão de obra qualificada, o que é preocupante.

“A maioria das pessoas que aparecem para trabalhar não é qualificada. Assentar bloco não é a mesma coisa que assentar tijolo”, ressaltou Freitas.

Uma empresa de engenharia que está com 400 vagas abertas começou, no sábado (7), uma campanha que prevê até sorteio de prêmios para quem se inscrever para as vagas disponíveis.

Segundo o presidente da CGTB, a empresa vai repetir a campanha, no próximo sábado (14), no Horto Florestal, com novos sorteios de prêmios, lanches e outros atrativos.

Para atrair a concorrida e escassa mão de obra, as empresas estão oferecendo vantagens como: salário compatível com o mercado, prêmio produtividade, cesta básica, café da manhã e almoço, vale-transporte (com o desconto de apenas 1%) e projeto profissionalizante “Escola na Obra”.

Panorama - Em Mato Grosso do Sul, a construção covil conta com 54 mil trabalhadores formais e informais. Somente em Campo Grande, são aproximadamente 30 mil.

Freitas informou que a construção civil está bem aquecida há alguns anos em Campo Grande, Dourados, Três Lagoas e Ponta Porã.



eu tenho empresa constituida com mão de obra disponivel equipe em todos campos conforme os preços poderemos estar ai.

Nelson
 
Nelson Waldemar Merlo Pansera em 10/02/2014 14:09:10
Que empresa é essa que esta precisando tanto?
 
Edmir Bezerra em 24/01/2012 02:05:46
Mais é claro que precisa de mão de obra, com o salário que eles querem pagar vão continuar precisando, eles querem pagar 750 reais por mes, agora façam as contas, em média o preço para assentar piso gira em torno de 15 reais o metro e 20 para o porcelanato, esses apartamentos tem em media 65 mts de piso o que da 975,00. isso é feito em 1 semana agora faça tds as contas e vejam qto os empr. lucram
 
Marcelo Brito em 09/01/2012 09:08:09
isso mesmo vamos dar qualificação para quem quer trabalhar e não tem experiencia,vamos apostar na boa vontade do cidadão em aprender
 
marcia damazio em 09/01/2012 06:52:04
Chegou a hora de valorizar quem realmente faz a força. Ou paga bem o operário, ou tudo vai a passos de tartaruga.
 
valter oliveira em 09/01/2012 04:42:31
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions