ACOMPANHE-NOS    
JULHO, QUINTA  02    CAMPO GRANDE 11º

Economia

Contratações aumentam até 39%, mas sobra R$ 400 milhões do FCO em 2016

Por Priscilla Peres e Renata Volpe | 21/12/2016 11:22

Em 2016, Mato Grosso do Sul não conseguiu contratar os R$ 1,360 bilhão de recursos disponíveis pelo FCO (Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste). Restaram R$ 400 milhões que retornar para os empresários do Estado em 2017, quando o montante chegará a R$ 2,24 bilhões.

De acordo com o secretário estadual de desenvolvimento econômico, Jaime Verruck, em um mês as contratações dos segmentos rural e empresarial subiram 22% e 39%, respectivamente. Os dados foram repassados hoje pelo Banco do Brasil.

Em 16 de novembro, sobravam R$ 553 milhões para o setor rural e R$ 93 milhões para empresarial. Mas segundo Jaime, em 16 de dezembro já eram R$ 176 milhões do rural e R$ 129 milhões empresarial.

A melhora no desempenho se deve ao modo de atuação do Banco do Brasil. "O banco mudou a postura. Antes a gerência fazia uma análise de 100% das notas fiscais dos empresários, agora eles fazem análise de por amostragem, o que simplifica e agiliza o trabalho. O problema era na gerência e foi resolvido", afirma.

Para 2017, serão R$ 2,24 bilhões em recursos para o FCO, aumento de 64% no montante. "Temos que começar a trabalhar já em 15 de janeiro", disse Jaime. Para incentivar as contratações, ele afirma que o Condel (Conselho Deliberativo Centro-Oeste) vai analisar reduzir os juros.
Sem falar em números, o secretário apenas afirmou que "não faz sentido o FCO ter juros iguais ou maiores que BNDES, por exemplo".