ACOMPANHE-NOS     Campo Grande News no Facebook Campo Grande News no Twitter Campo Grande News no Instagram
JULHO, QUINTA  18    CAMPO GRANDE 20º

Economia

Famílias precisam se recadastrar para continuar com a "conta de luz zero"

Os beneficiários devem atualizar os dados até o dia 10 de maio

Por Izabela Cavalcanti | 01/02/2024 06:57
Beneficiária segurando conta de energia social, programa do Governo do Estado (Foto: Edemir Rodrigues)
Beneficiária segurando conta de energia social, programa do Governo do Estado (Foto: Edemir Rodrigues)

Começa nesta quinta-feira (1°) o recadastramento do “Energia Social: Conta de Luz Zero”, programa do Governo do Estado. Os beneficiários devem atualizar os dados no site www.sead.ms.gov.br até 10 de maio.

Em média, são mais de 154 mil famílias beneficiadas. Para recadastrar, o beneficiário deverá enviar de forma digital a fatura de energia elétrica, foto atualizada e documentos pessoais. Na fatura mensal de cada beneficiário também haverá aviso alertando da necessidade de recadastramento.

“Esse recadastramento vai permitir que as pessoas em vulnerabilidade social, que contam todo mês com o Energia Social, continuem com seu benefício. Na prática, um valor que seria destinado para a conta de luz pode ser direcionado pela família para a compra de um material escolar, remédio na farmácia ou até mesmo uma compra no mercado”, detalha a titular da Sead (Secretaria de Estado de Assistência Social e dos Direitos Humanos), Patrícia Cozzolino.

Prorrogação - O Governo do Estado prorrogou o programa Energia Social: Conta de Luz Zero até 2026, contemplando também as famílias que tenham entre seus membros residentes na unidade consumidora, pessoa com patologia cujo tratamento médico requer o uso continuado de aparelhos, equipamentos ou instrumentos que, para seu funcionamento, demandam consumo de energia elétrica. O consumo precisa ser de até 530 KW/h.

Receba as principais notícias do Estado pelo Whats. Clique aqui para acessar o canal do Campo Grande News e siga nossas redes sociais.

Nos siga no Google Notícias