A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Domingo, 20 de Agosto de 2017

29/03/2017 13:27

JBS dá férias coletivas para funcionários de três frigoríficos de MS

Ricardo Campos Jr.
Unidade da JBS de Campo Grande não deve ser afetada (Foto: Marcos Ermínio)Unidade da JBS de Campo Grande não deve ser afetada (Foto: Marcos Ermínio)

A JBS dará férias coletivas de 20 dias aos trabalhadores das unidades de Naviraí, Nova Andradina e Anastácio a partir da próxima segunda-feira (3). A medida será tomada em outras sete unidades pelo país nos estados de São Paulo, Goiás, Pará e Mato Grosso, todas elas atuam no abate de bovinos.

O número de funcionários afetados não foi divulgado. A empresa disse apenas que tem 125 mil colaboradores, cujos empregos se comprometeu a manter.

Segundo a assessoria de imprensa da JBS, a decisão ainda é reflexo dos embargos interpostos pelos países importadores de carne brasileira após a divulgação dos resultados da operação Carne Fraca, que apesar de ter encontrado irregularidades em algumas plantas no Paraná, Santa Catarina e Goiás, acabou afetando a imagem do produto nacional.

Apesar de várias nações terem anunciado a derrubada das restrições na última semana, alguns deles clientes importantes das unidades de Mato Grosso do Sul, como Chile e China, as férias coletivas são necessárias, segundo a JBS, para ajustar os volumes de produção e normalizar os níveis de estoques de produtos destinados ao mercado interno.

Também é preciso reescalonar a programação de embarques de produtos para os clientes do mercado externo que ficaram represados durante esse período, de forma a não sobrecarregar os sistemas de recebimento e estocagem dos mesmos. As férias coletivas poderão ser prolongadas por mais dez dias se a companhia julgar necessário.

Entre os dias 23 e 25 de março a empresa parou os abates em seis das sete unidades que processam bovinos em Mato Grosso do Sul pelo mesmo motivo. Somente a de Anastácio continuou operando. Na segunda-feira (27) os frigoríficos reabriram, mas reduziram em 35% a capacidade de produção para não gerar estoque.




Tem que se prestar muita atenção pois pode ser mais uma jogada para prejudicar tanto os produtores quanto os consumidores, pois assim eles pagam menos pela arroba do boi e cobra mais para o consumidor, ja que vai sobrar boi no pasto e vai faltar carne nos revendedores.
 
Seusamuca em 29/03/2017 18:11:07
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions