A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Terça-feira, 12 de Dezembro de 2017

10/06/2011 12:04

Leite tipo B volta a ser produzido em Mato Grosso do Sul

Vanda Escalante

Produção e comercialização estavam suspensas pelo Ministério da Agricultura havia dois meses.

Mato Grosso do Sul tem apenas um laticínio que produz e processa o leite tipo B. A pouca produção se deve principalmente às exigências do Ministério da Agricultura, que incluem, além de alimentação controlada, acompanhamento veterinário constante e exames semestrais que comprovem a sanidade do rebanho, a ordenha mecânica realizada em um ambiente azulejado e totalmente coberto.

A operação desse laticínio foi suspensa há dois meses e a volta da produção exigiu um investimento de R$ 29 mil na adequação do processo, incluindo a realização de exames laboratoriais e modificações estruturais nas instalações.

“Investimos este valor, para comprovar que não consta nenhum tipo de patologia em nosso rebanho. E hoje, somos a única empresa que conseguiu o aval do Ministério da Agricultura”, relata o diretor comercial do laticínio Imbaúba, Renato Gasparini.

De acordo com a Embrapa Gado de Leite, a Região Centro-Oeste abriga 35% do rebanho bovino nacional, com uma das principais concentrações de indústrias de laticínios do país. O setor movimenta anualmente, em todo o Brasil, cerca de US$10 bilhões, empregando três milhões de pessoas, e produzindo aproximadamente 20 bilhões de litros de leite por ano.

Processo - No processo de produção do leite tipo B, o contato humano é mínimo. O local de armazenamento deste tipo de leite deve ser sempre refrigerado a aproximadamente 4°C. Após a ordenha, o leite é transportado resfriado das fazendas até a usina, em caminhões-tanques isotérmicos, sendo ele o primeiro leite a ser processado, o que lhe confere coloração e sabor especiais.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions