A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Sábado, 16 de Dezembro de 2017

04/10/2016 20:54

Maioria pretende gastar até R$ 100 e intenção de compra aumenta 2,7%

Nyelder Rodrigues
Centrão da Capital tem a preferência de 40% dos entrevistados na pesquisa (Foto: Alcides Neto)"Centrão" da Capital tem a preferência de 40% dos entrevistados na pesquisa (Foto: Alcides Neto)

Os cursos de Administração e Ciências Contábeis da Faculdade Estácio de Sá de Campo Grande apontam em pesquisa de mercado realizada na Capital que a intenção de compras para o Dia das Crianças este ano subiu 2,74% em comparação ao ano passado, atingindo a marca de 76,13% dos entrevistados. A maioria pretende gastar até R$ 100.

Entre os dados analisados, estão perfil dos consumidores, intenção de compra, escolhas de compra e relações de dados. Foram entrevistadas 487 pessoas (55% do sexo feminino) entre 11 de agosto e 8 de setembro, tendo 81% delas entre 18 e 41 anos. A pesquisa tem margem de erro de 4,44% e 95% de confiabilidade.

Ao analisar a renda dos entrevistados, 35% tem renda entre 1 a 2 salários mínimos, 34% dos entrevistados possuem renda de 2 a 5 salários mínimos e somente 14% dos entrevistados possuem renda de 5 a 10 salários mínimos.

Elas responderam um questionário com 17 perguntas, com perguntas que analisaram o tipo de presente, fator determinante na escolha, pretensão de gasto, forma de pagamento, tipo de comércio e motivo de escolha do tipo de comércio.

O que e onde comprar - Brinquedos lideram com 51% a intenção de compra, seguido por vestuário, com 26%, e calçados, com 7%. Os presentes devem ser escolhidos por 38% conforme a vontade da criança enquanto que 29% vão se basear no perfil do presentado. O preço é fator determinante na compra de 14% dos entrevistados.

No caso do valor a ser gasto, a estimativa é que 28% dos consumidores use até R$ 50, enquanto 40% deve gastar R$ 50 e R$ 100. Presentes entre R$ 100 e R$ 200 são pretendidos por 20% dos consumidores pesquisados, sendo que 66% deles querem pagar à vista. Dos que vão pagar à prazo, o cartão de crédito é a opção de 88%.

O estudo dos cursos de Administração e Ciências Contábeis da Estácio de Sá de Campo Grande também avaliou o tipo de comércio em que os consumidores pretender ir para comprar os presentes, e os tradicionais comércio formal do Centro e shoppings seguem líderes, com 40% e 38% da preferência, respectivamente.

Eles são seguidos, em ordem decrescente, por comércio formal de bairro (8%), internet (3%) e comércio informal (camelôs, 3%). Supermercados ficaram com 1%, enquanto 7% afirmaram não terem definido ainda. Os principais motivos pelas preferências foram diversidade de produtos (35%), proximidade (19%), nível de preço (18%) e conforto (10%).

Os limites do “desculpe, seu score está baixo”
Imagine a seguinte situação. Você está navegando em uma grande loja de comércio eletrônico e escolhe um novo celular para compra. Na hora do pagament...
Confaz aprova incentivos fiscais concedidos pelo Governo de MS
O Confaz (Conselho Nacional de Política Fazendária) aprovou a convalidação de todos os incentivos fiscais concedidos pelo Governo do Estado em Mato G...
Consumidor terá 30 dias para contratar serviço de esgoto antes de ser multado
Será apresentado às 9h de segunda-feira (18) um termo de parceria entre o Procon-MS (Superintendência para Orientação e Defesa do Consumidor de Mato ...


imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions