A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Segunda-feira, 18 de Dezembro de 2017

08/06/2010 11:55

MS reduz prazo para ter 1 mi de hectares de floresta

Redação

Mato Grosso do Sul reduziu em dez anos o prazo previsto para chegar a 1 milhão de hectares de florestas plantadas.

De acordo com o presidente da Reflore (Associação Sul-Mato-Grossense de Produtores e Consumidores de Florestas Plantadas), Luiz Calvo Ramires Júnior, a previsão inicial era de que a marca fosse atingida em 2030, contudo o cenário favorável reduziu a previsão para 2020.

Até amanhã, em Campo Grande, acontece o 2º Congresso Florestal de Mato Grosso do Sul vai discutir o desenvolvimento sustentável.

Atualmente, a área de florestas plantadas chega a 307 mil hectares, cultivados, principalmente, entre Três Lagoas e Campo Grande.

Segundo ele, a silvicultura deve superar a indústria frigorífica. "A celulose é o principal produto para exportação". Porém, predomina a hegemonia da pecuária, com área de 18 milhões de hectares.

Em 90% das áreas de florestas plantadas, são cultivados eucalipto e pinus. "Mas é possível plantar outras, como seringueira e erva-mate. Para se ter ideia, temos que importar erva-mate do Paraná para o tereré". Mato Grosso do Sul já foi grande produtor e tem a história marcada pelo ciclo da erva-mate.

Para o presidente da Reflore, as condições de topografia, logística e situação fundiária atraiem as empresas do setor para o Estado, como a Fíbria. Instalada em Três Lagoas, a empresa é a dona da maior produção de linha única de celulose do mundo e está em funcionamento desde março de 2010.

Ramires Júnior enfatiza que o plantio de florestas plantadas diversificou a economia, pois a madeira é utilizada na construção civil, produção de carvão vegetal (que abastece as siderúrgicas), móveis e energia térmica. "Precisamos das florestas plantadas. Seja para os móveis da casa, o aço para o carro".

Conforme ele, o cultivo também diminui a pressão sobre a vegetação nativa. "Cada hectare de floresta plantada preserva 30 hectares de vegetação nativa do Cerrado". Para ele, a expansão da atividade ainda preserva o solo degradado por pastagens.

O governo do Estado deve reduzir a TMF (Taxa de Transporte e Movimentação de Produtos Florestais). "O ideal seria reduzir a zero, mas isso não pode ser feito".

O Congresso Florestal é realizado no Centro de Convenções Rubens Gil de Camillo.

Procon da Capital abre campanha para orientar comércio e consumidor no Natal
O Procon (Subsecretaria de Proteção e Defesa do Consumidor) de Campo Grande dá início nesta segunda-feira (18) a uma semana de orientação e atendimen...
Os limites do “desculpe, seu score está baixo”
Imagine a seguinte situação. Você está navegando em uma grande loja de comércio eletrônico e escolhe um novo celular para compra. Na hora do pagament...
imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions