A notícia da terra a um clique de você.
Campo Grande, Quarta-feira, 22 de Agosto de 2018

14/03/2018 12:21

MS registra superávit de US$ 2,1 bilhões na balança comercial em 2017

O aumento da produção destinada ao mercado interno e a tímida queda nas importações favoreceram o resultado

Ricardo Campos Jr.
O valor proporcionado com as exportações do agronegócio no ano passado é, em números absolutos, US$ 629,45 milhões a mais que o montante de 2016 (Foto: divulgação)O valor proporcionado com as exportações do agronegócio no ano passado é, em números absolutos, US$ 629,45 milhões a mais que o montante de 2016 (Foto: divulgação)

O aumento da produção destinada ao mercado interno e a tímida queda nas importações favoreceram um superávit de US$ 2,118 bilhões na balança comercial de Mato Grosso do Sul em 2017. Os resultados superam em 23,5% os US$ 1,7 bilhões registrados em 2016, segundo dados do Mdic (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior ).

Com as vendas externas o estado faturou ano passado US$ 4,4 bilhões. O estado comprava mais do que vendia internacionalmente até 2014, quando registrou o primeiro saldo positivo em quatro anos, de US$ 80, milhões.

Políticas de diversificação da economia e indução do desenvolvimento fizeram com que o estado ampliasse a pauta de exportações.

De Mato Grosso do Sul saem para o exterior soja em grãos, celulose, milho em grão, carne bovina congelada, açúcar, carne de aves, farelo de soja, minério de ferro, couros e peles. O estado perde apenas para Goiás (14 itens) em variedade de produtos no Brasil Central, que inclui Distrito Federal, Mato Grosso, Rondônia e Tocantins.

Somente no primeiro bimestre deste ano, o Estado teve superavit de US$ 257 milhões, com exportações em US$ 663 milhões e importações que somam US$ 405 milhões. No mesmo período do ano passado o saldo foi de US$ 251 milhões.

A celulose correspondeu a 41% desse volume. O produto teve crescimento de 70,69% nas vendas externas em relação ao mesmo período de 2017.

O principal comprador dos produtos sul-mato-grossenses continua sendo a China, com aumento de 22% na participação de janeiro e fevereiro de 2017 para o mesmo período de 2018. Mas o destaque fica para o Uruguai, que comprou o equivalente a US$ 25 milhões nos primeiros dois meses do ano, com aumento de 2.181%.

Por outro lado, o gás natural da Bolívia continua sendo o principal item das importações do Estado, com 51%. O volume de importação desse produto aumentou 77%, chegando ao desembolso de US$ 209 milhões.

O valor proporcionado com as exportações do agronegócio no ano passado é, em números absolutos, US$ 629,45 milhões a mais que o montante de 2016, de US$ 3,876 bilhões. Também supera o de 2015 (US$ 4,488 bilhões), mas está abaixo ao resultado de 2014 (US$ 4,673 bilhões).

A receita com as exportações dos produtos do campo corresponderam a 94% do total do valor das vendas externas de Mato Grosso do Sul durante o ano passado, que foi de US$ 4,78 bilhões.

O destaque continua sendo o complexo soja, com receita acumulada de US$ 1,476 bilhão durante 2017. O valor é 25% maior que os US$ 1,117 bilhão resultantes das vendas externas do agronegócio sul-mato-grossense no ano anterior.

As vendas sul-mato-grossenses de minério de ferro, que já vinham se recuperando durante 2017, apresentaram avanço expressivo no início deste ano. A receita com as exportações do produto somou US$ 12,16 milhões em janeiro, incremento de 81,12% na comparação com mesmo mês do ano passado. O valor é o maior em três anos,

Esse produto acumula receita de US$ 124 milhões com as exportações em 2017, alta de 43% na comparação com o valor do ano anterior, de US$ 86,5 milhões. São US$ 37,5 milhões a mais. Em volume, o crescimento foi de 12%, de 3,3 milhões de toneladas para 3,7 milhões de toneladas.



imagem transparente

Classificados


Desenvolvido por Idalus Internet Solutions