ACOMPANHE-NOS    
ABRIL, TERÇA  07    CAMPO GRANDE 21º

Economia

Nem depósito de 13º do servidor salva os comerciantes da frustração

Poucos trabalhadores decidiram ir hoje as compras, outros optaram por pagar contas

Por Gabriel Neris e Liniker Ribeiro | 18/12/2018 16:20
Movimento no comércio da Capital ainda é fraco, mesmo com pagamento do 13º salário (Foto: Kísie Ainoã)
Movimento no comércio da Capital ainda é fraco, mesmo com pagamento do 13º salário (Foto: Kísie Ainoã)

Comerciantes ficaram frustrados no dia do pagamento do 13º salário dos servidores do governo do Estado. Foram injetados cerca de R$ 500 milhões na economia, porém a região central de Campo Grande ainda não sentiu os efeitos.

A vendedora Laís Inácio Ferreira, de 21 anos, afirma que o movimento ainda está parado e espera que haja melhora as vésperas do Natal. “Preciso bater meta e por enquanto está difícil”, comenta.

A loja de roupas em que ela trabalha adotou novo horário para garantir uma melhora neste fim de ano. De segunda a sábado funciona até às 22h e aos domingos até o horário que ainda há movimentação de clientes.

Gerente da Ricardo Eletro diz que aguarda aumento de até 20% nas vendas (Foto: Kísie Ainoã)
Gerente da Ricardo Eletro diz que aguarda aumento de até 20% nas vendas (Foto: Kísie Ainoã)

Fábio Barbosa, de 40 anos, trabalha como gerente da Ricardo Eletro, loja de varejo. Ele afirma que o movimento ainda está tranquilo e espera que haja aumento de 15% a 20% nas vendas. “O que já ajudaria bastante”, diz. O trabalhador também afirma a primeira parcela paga aos trabalhadores registrados em carteira pouco impactou nas vendas.

Luiz Edgar, de 47 anos, é servidor público, e disse que estava esperando pelo pagamento do 13º salário. “Veio em boa hora”, comentou. Ele relatou que aproveitou para ir ao Centro pagar contas e antecipar as compras de Natal ao lado da mulher e da filha para evitar enfrentar lojas lotadas na semana que vem. A prioridade na hora de presentear a família será em procurar por roupas.

Já a funcionária pública Nadir Honório, de 52 anos, disse ter se surpreendido com a data do pagamento do 13º. “Estava esperando no dia 20. Mesmo que sejam só dois dias já faz a nossa alegria”, brincou. A mulher afirma que ainda não sabe quais serão as prioridades com o dinheiro extra. “É pouco dinheiro para muita conta”. Ela diz que dará prioridade para pagar as contas do dia a dia, como água, luz e internet.

Isildinha dos Santos celebra o pagamento do salário extra, mas diz que desta vez vai poupá-lo. “Vou guardar o máximo possível. Se for gastar será para pagar o IPTU e o IPVA. O restante vou guardar para futuramente trocar de carro”, comenta.

Contribuintes enfrentam fila na Central do IPTU nesta terça-feira (Foto: Liniker Ribeiro)
Contribuintes enfrentam fila na Central do IPTU nesta terça-feira (Foto: Liniker Ribeiro)

Muitas pessoas também aproveitaram o 13º salário para acertar impostos atrasados. O movimento de contribuintes na Central do IPTU, na Rua Arthur Jorge, é grande. O Refis (Programa de Refinanciamento) da Prefeitura vai até o dia 23 de dezembro.

Quem passou por lá foi à funcionária pública Helena Agrimpio. “Nosso dinheiro vai tudo para essas coisas”, brica. Ela conta que foi até a Central do IPTU para negociar dívidas dos dois últimos anos e ainda lamenta que não conseguirá zerar o compromisso com a prefeitura. “[O desconto] podia ser melhor”.

Sérgio Souza, 31 anos, contou que decidiu enfrentar a fila para garantir os descontos do IPTU 2019. Sobre o dinheiro do 13º salário, pretende pagar contas e guardar o restante.